Postagem em destaque

GREVE DOS GUARDAS PORTUÁRIOS NO RIO É CANCELADA APÓS DETERMINAÇÃO DA JUSTIÇA PARA MANTER ESCALA DE TRABALHO

  Nível de Proteção do porto chegou a ser elevado para 2 No dia 14, quinta feira, o Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Portuários do...

LEGISLAÇÕES

quarta-feira, 22 de setembro de 2021

0

OPERAÇÃO CONJUNTA NO PORTO DE SANTOS RESULTA EM APREENSÃO DE 155 KG DE COCAÍNA

 

O destino do navio graneleiro seria o Porto de Apapa, em Lagos, na Nigéria

No último sábado, dia 18 de setembro, na Operação Ágata Arco Sul-Sudeste, coordenada pela Marinha do Brasil (Comando do 8º Distrito Naval), foi apreendido 155 kg de cocaína em um navio graneleiro atracado no Porto de Santos, no litoral de São Paulo.

A ação para a localização da droga durou mais de 10 horas, pois boa parte de um carregamento de mais de 46 mil toneladas de açúcar a granel precisou ser removida de um porão para outro do navio com uso do equipamento chamado “grab”, um tipo de caçamba suspensa por guindaste interno.

À medida que a carga era removida, bolsas contendo cocaína eram localizadas, sendo necessária também a intervenção manual dos servidores envolvidos, vasculhando a carga com pás e varas em busca do entorpecente.

Devido a ocorrências anteriores de ocultação de bolsas contendo cocaína no compartimento denominado "sea chest" que fica abaixo da linha d'água e é utilizado para coleta de água do mar para suprir os sistemas de refrigeração do navio, mergulhadores do Grupamento de Patrulha Naval do Sul-Sudeste da Marinha do Brasil realizaram dois mergulhos para inspeção do casco do navio. As condições de visibilidade das águas e o risco desse tipo de operação exigem um trabalho minucioso e demorado para sua conclusão, mas nada foi encontrado.

O destino do navio graneleiro seria o Porto de Apapa, em Lagos, na Nigéria.

A droga apreendida foi encaminhada para a sede da Polícia Federal. A Receita Federal fornecerá todas as informações disponíveis sobre esse carregamento de exportação à Polícia Federal, resultando em um novo inquérito policial ou trazendo novos elementos para os que estão em curso.

Operação Ágata

Coordenadas pelo Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA) do Ministério da Defesa (MD), a operação tem como objetivo, fortalecer a segurança nas áreas de fronteiras para reprimir o narcotráfico, o contrabando, o tráfico de armas e munições, além de crimes ambientais.

A Operação Ágata integra o Plano Estratégico de Fronteiras (PEF) do Governo Federal. Além do Ministério da Defesa, a ação envolve a participação de 12 ministérios e 20 agências governamentais. O planejamento e a mobilização são feitos de forma integrada, com articulação contínua entre militares das Forças Armadas e agentes de segurança pública nos níveis federal, estadual e municipal.

O Programa de Proteção Integrada de Fronteiras (PPIF) organiza a atuação de todas as unidades nas ações conjuntas na faixa de fronteira, incluídas suas águas interiores e a costa marítima. 

A Ágata Arco Sul-Sudeste foi realizada, entre os dias 13 a 16 de setembro, no Porto de Santos, litoral do estado de São Paulo, e contou com a participação da Marinha do Brasil (MB), Polícia Federal (PF), Receita Federal do Brasil (RFB), Guarda Portuária (Gport), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, mais conhecido pelo acrônimo (IBAMA), Polícia Militar Ambiental do Estado de São Paulo (PMESP), Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Até o último sábado, 125 embarcações foram inspecionadas, sendo 21 notificadas, sete apresadas e uma apreendida.


A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.      

* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos. Caso não tenha conta no Google, entre como anônimo mas se identique no final do seu comentário.