Postagem em destaque

PF FLAGRA PORTUÁRIOS COM PACOTES DE COCAÍNA NO CORPO PARA EMBARQUE EM NAVIO

Trabalhadores do Porto de Santos tentaram levar carregamento até navio atracado no cais, que foi cercado pela Guarda Portuária. Tablete...

domingo, 9 de dezembro de 2012

0

POLICIAIS BAIANOS PODERÃO ACESSAR INFOSEG EM CELULAR E TABLET PARTICULARES



SEGURANÇA PÚBLICA PORTUÁRIA / TECNOLOGIA



 
 

Foi publicada no Diário Oficial do Estado da Bahia uma portaria do Secretário de Segurança Pública criando condições para que policiais militares e civis baianos possam acessar o sistema MOP (Mobilidade em Operações Policiais) através de telefones celulares e tablets particulares que operem no sistema Android. O MOP, que permite aos usuários consultar restrições judiciais e administrativas a veículos e indivíduos suspeitos, é usado atualmente pelas polícias baianas em aparelhos do Estado, de modelo Blackberry.

A iniciativa parece louvável, já que smartphones e tablets estão cada vez mais popularizados, facilitando o trabalho operacional de policiais que às vezes são menos eficientes por falta de informação qualificada para a realização de prisões e apreensões. Quem sente afinidade com o serviço “de área” e não se incomoda de possuir o recurso em seu aparelho particular irá aderir à novidade.

O MOP permite acesso integrado ao Infoseg e ao Portal SSP. Abaixo, a portaria que regula a concessão de acesso privado:

PORTARIA Nº 898 de 05 de novembro de 2012.

- Dispõe sobre a autorização de acesso ao Sistema Mobilidade em Operações Policiais (MOP) aos policiais a serviço do Governo do Estado da Bahia, mediante uso de equipamento particular que rode sob a plataforma Android.

- O SECRETÁRIO DA SEGURANÇA PÚBLICA, no uso de suas atribuições legais e regimentais, RESOLVE:

Art. 1º - Ampliar a forma de acesso ao Sistema de Mobilidade em Operações Policiais (MOP) aos policiais a serviço do Governo do Estado da Bahia, mediante uso de equipamentos particulares (tablets ou smartphones) que funcionem sob a plataforma Android.

Parágrafo único. Esse acesso é uma concessão da SSP-BA e que pode ser revogada a qualquer tempo, sendo sua aceitação por parte do policial a serviço do Governo do Estado da Bahia uma mera liberalidade, sem ônus para o Estado.

Art. 2º - Requisitos para liberação do acesso ao MOP aos policiais a serviço do Governo do Estado da Bahia, por dispositivos particulares:

I- não estar o policial a serviço do Governo do Estado da Bahia impedido pela organização onde está lotado, de exercer a atividade fim de policia administrativa, judiciária ou científica, com base em legislações vigentes no país;

II- apresentar ao Administrador do MOP ou seus Supervisores de Seguimentos, o Termo de Responsabilidade específico, disponível no endereço eletrônico http://home.sspba.intranet/sistemas/mop/termo_mop_android (acesso exclusivo rede governo), devidamente preenchido e assinado, obedecendo inclusive a cadeia vigente para autorização de acesso ao Sistema nas corporações.

III- Cadastro do aparelho particular do policial a serviço do Governo do Estado da Bahia (tablets ou smartphones que funcionem sob a plataforma Android), por parte do Administrador do MOP ou seus Supervisores de Seguimentos, no Sistema Mobilidade em Operações Policiais;

IV – As solicitações dos policiais deverão ser protocoladas no setor de inteligência da sua respectiva unidade, a qual depois de verificado o preenchimento dos requisitos exigidos, submeterá para assinatura do Gestor e posterior encaminhamento para o respectivo Supervisor de Seguimento, visando o cadastro dos equipamentos e liberação dos acessos.

V – Os Supervisores de Seguimentos e o Setor de Inteligência de cada unidade deverão proceder a auditoria no uso do MOP via equipamentos particulares, pelo menos uma vez a cada sessenta (60) dias, para fins de prestar informações ao gestores imediatos responsáveis por cada área regional, observando a divisão de responsabilidade territorial dentro das corporações.

Parágrafo Único. Esse relatório específico de uso do MOP via dispositivos particulares será disponibilizado pelo Administrador do MOP no próprio sistema.

Art. 3º - Compete à Superintendência de Gestão Tecnológica e Organizacional – SGTO

I) continuar com a gestão técnica da solução MOP, inclusive com as novas funcionalidades;

II) suspender a prestação do acesso mediante essa modalidade, caso verifique problemas de segurança da solução;

III) fomentar e executar treinamentos da solução MOP, em apoio às organizações policiais do Estado da Bahia;

IV) auditar junto aos Supervisores de Seguimento, a autorização de acesso a que se refere essa Portaria;

Art. 4º - Os casos omissos desta Portaria serão decididos pelo Secretário da Segurança Pública.

 
Fonte: Abordagem Policial


Enquanto isso, os responsáveis pela Guarda Portuária hibernam e não buscam este convênio junto à Secretaria Nacional de Segurança Pública.



Leia Também:


Infoseg para a Guarda Portuária é viável.

Guarda Portuária luta pelo Infoseg.

Guarda Portuária quer o Infoseg.
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES