Postagem em destaque

GUARDAS PORTUÁRIOS PARTICIPAM DE CURSO DE CAPACITAÇÃO PARA ADESTRAMENTO DE CÃES NO PARÁ

As instruções teóricas foram realizadas tanto em espaços ao ar livre quanto em sala, com apresentações em slides e considerações impor...

sábado, 9 de fevereiro de 2013

0

O INIMIGO MORA AO LADO



Manifestação do Settaport sobre a MP 595 é repudiada
 

 

Revolta e indignação. Essas foram as reações dos dirigentes de sindicatos de trabalhadores portuários com as declarações do presidente do Sindicato dos Empregados Terrestres em Transportes Aquaviários de Santos (Settaport), Francisco Nogueira, a respeito da MP 595, publicadas nesta sexta-feira em A Tribuna.

Nogueira disse que, em reunião na última segunda-feira, em Brasília, dirigentes dos Settaport de seis estados concluíram que a MP não representa ameaça aos trabalhadores portuários, necessitando, porém, de alguns ajustes nos itens sobre a instalação de novos terminais portuários.

Para o presidente do Sindicato dos Conferentes de Carga, Descarga e Capatazia, Marco Antônio Sanches, diante do atual quadro de apreensão, as declarações de Nogueira foram “inoportunas”.

Compartilhando da mesma opinião, o presidente do Sindicato do Bloco, Jozimar Bezerra de Menezes, disse que a manifestação do Settaport não deve ser levada em consideração. Já Everandy Cirino dos Santos, presidente do Sindaport, se disse surpreso."Não esperava esse tipo de comportamento. É lamentável ver que lideranças de outras entidades se prezam a praticar um sindicalismo notadamente predatório”.

O presidente do Sindogeesp, Guilherme do Amaral Távora, esclarece que a representatividade das categorias também é motivo de discórdia entre os portuários e o Settaport. "São embates jurídicos que poderiam ser evitados se cada macaco ficasse no seu galho”.

Um dos mais revoltados é o presidente do Sindicato dos Estivadores, Rodnei Oliveira da Silva. "Defender a MP é o mesmo que ficar ao lado do Governo e do grupo de empresários liderados por Eike Batista que fizeram o texto da regulamentação”. Segundo ele, Nogueira está “ brincando com fogo” e a estiva vai reagir para garantir o mercado de trabalho.

O presidente do Sintraport, Robson Apolinário. também criticou. “Ele (Nogueira) deu um tiro no pé ao tornar público sua inaptidão e incapacidade como gestor de uma entidade sindical, bem como seu desconhecimento com as questões macros que envolvem os portos”. Para Apolinário, o Settaport pratica o chamado "sindicalismo burguês”.

Greve

Ao contrário do Settaport, as lideranças dos demais sindicatos querem evitar que a MP seja aprovada da forma como foi concebida e ameaçam deflagrar uma greve caso não sejam atendidos. Há, entre eles, o consenso de que a MP vai acabar com o porto público e reduzir o mercado de trabalho.


Fonte: Jornal A Tribuna



Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES