Postagem em destaque

GUARDA PORTUÁRIA PARTICIPA DO DESFILE DA INDEPENDÊNCIA

A Guarda Portuária voltou a participar após 35 anos de ausência. A última participação ocorreu em 1982 Ontem (07) a Guarda Portuár...

terça-feira, 2 de abril de 2013

0

RECEITA FEDERAL FORMA NOVA TURMA DE CONDUTORES DE CÃES FAREJADORES





Foi concluído na última sexta-feira, 22/3, o 3º Curso de Capacitação de Condutores e Cães Farejadores, promovido pelo Centro Nacional de Cães de Faro - CNCF da Receita Federal do Brasil, situado em Vitória. Com duração de quatro semanas, o curso visa formar duplas aptas para atuarem no combate ao tráfico de drogas e detecção de vários outros ilícitos que entram ou saem do país.

Criado desde 2010 por portaria específica, o CNCF tem suas atividades de adestramento de animais para fiscalizações relacionadas às drogas e outros ilícitos conhecidas pela sigla de padrão internacional K-9, cuja pronúncia em inglês remete à palavra “canine”.

A iniciativa de utilizar cães farejadores como importante apoio para as atividades de fiscalização aduaneira no Espírito Santo existe desde 2006, mas a oficialização da ampliação da atividade, incluindo capacitações específicas, aumento de plantel de animais treinados e da área de abrangência da atividade somente se concretizou a partir da Portaria RFB nº116/2010, publicada em 26 de janeiro, data em que se comemora o Dia Internacional das Aduanas.

Nesta terceira versão do curso, concluída no último dia 22 de março, foram treinados cinco servidores da Receita Federal do Brasil, dos estados do Ceará, Pernambuco, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul, e também um policial civil do Espírito Santo, pela parceria interinstitucional.

A metodologia do treinamento obedece a uma rígida rotina diária em que as atividades são executadas e analisadas à medida que são desenvolvidas. Na conclusão do curso os participantes são submetidos a uma avaliação final com nota mínima de aprovação.

Trabalho em dupla beneficia a sociedade

A parceria entre homem e animal vem de tempos imemoriais, e as circunstâncias históricas e sociais vão aprimorando e ampliando esse relacionamento.

No caso da detecção de drogas ou outros ilícitos que possam ser encontrados no decurso das atividades na área aduaneira (portos, aeroportos, pontos de fronteira, recintos alfandegados e também na área dos Correios, onde a Alfândega tem posto de fiscalização), a participação dos cães farejadores treinados para usarem ao máximo a sua capacidade de olfato seletivo é muito importante.

O chefe adjunto do CNCF, Marcelo Barbosa, destaca que "na área dos Correios no Aeroporto do Galeão/RJ, logo que iniciamos as atividades com as duplas K-9 (condutor e cão de faro), conseguimos apreender mais de 10 quilos de drogas que seriam enviadas ou recebidas. Com o treinamento que está em curso, estamos ampliando o quadro de duplas e isso certamente terá reflexos positivos nos resultados de fiscalização”.

E acrescenta que os cães utilizados nesse trabalho específico de faro para drogas e outros ilícitos, como contrabando de armas, mercadorias contrafeitas e até entrada de moeda estrangeira de maneira irregular recebem treinamentos direcionados e, em geral, estão prontos para entrar em atividades após quatro meses de preparação.

Prosseguindo, o chefe adjunto do CNCF, ensina que "as raças mais apropriadas são pastor alemão e pastor belga malinois" e informa que "a Receita Federal do Brasil investe tanto na aquisição de cães de linhagem de trabalho quanto na reprodução, para garantir que o plantel atenda às necessidades de atuação como farejadores especiais”. Por fim, destaca também que os cães recebem total acompanhamento médico veterinário, bem como orientação nutricional e cuidados específicos de acomodação e higiene para garantir a saúde e bem-estar dos animais.

Fonte: Receita Federal


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES