Postagem em destaque

GUARDAS PORTUÁRIOS DENUNCIAM DIMINUIÇÃO DO EFETIVO E SUPRESSÃO DE POSTOS NO PARÁ

O quadro caótico vem comprometendo sensivelmente a segurança pública nos portos do Pará No dia 27 de janeiro, uma petição assinada...

quarta-feira, 1 de maio de 2013

1

SE DEIXAR DUAS TARTARUGAS NA CODESP, UMA FOGE




Foi preciso um prejuízo de milhões de reais para a economia do país e horas de transtorno em filas gigantescas, que infernizaram a vida de milhares de motoristas, para a atual diretoria da Codesp "descobrir" que era preciso cobrar dos terminais que operam no Porto de Santos um mínimo de organização e eficiência.

A supersafra de soja e de açúcar era de conhecimento geral, portanto bastava determinar dia de chegada e saída dos milhares de caminhões que operam no porto de Santos para minimizar os problemas de congestionamento no sistema Anchieta/Imigrantes e na entrada de Santos.

Custo Brasil

Responsável pela administração do maior porto da América Latina caberia à Codesp cobrar dos terminais o mínimo de organização para evitar o caos que se viu por várias semanas

Responsável pela administração do maior porto da América Latina, caberia à Codesp cobrar dos terminais o mínimo de organização para evitar o caos que se viu por várias semanas.

Enfim, depois de tantos transtornos e prejuízos, foram feitas as primeiras cobranças. Antes tarde do que nunca, mas como na velha piada, se o que se viu foi exemplo, se alguém deixar a diretoria da Codesp tomar conta de duas tartarugas, na melhor das hipóteses, uma delas vai fugir. Socorro!

E ainda tem gente que acredita que os trabalhadores são os responsáveis pelo tal "custo Brasil", que coloca nossos portos entre os mais caros do planeta...

 

Fonte: Jornal da Orla / Sindaport
 
 
 
 

Um comentário:

LEGISLAÇÕES