Postagem em destaque

PF FLAGRA PORTUÁRIOS COM PACOTES DE COCAÍNA NO CORPO PARA EMBARQUE EM NAVIO

Trabalhadores do Porto de Santos tentaram levar carregamento até navio atracado no cais, que foi cercado pela Guarda Portuária. Tablete...

segunda-feira, 10 de junho de 2013

0

DEPOIS DO ENVOLVIMENTO NA “OPERAÇÃO PORTO SEGURO”, TECONDI MUDA SUA MARCA


Ecoporto Santos é a nova marca do grupo formado por Tecondi, Termares e Termlog

Grupo planeja investir R$ 200 milhões em 5 anos e não descarta novas aquisições.





Depois de o ex-diretor executivo da Terminal para Contêineres da Margem Direita S/A(Tecondi), Carlos César Floriano, ser apontado como um dos suspeitos da PolíciaFederal (PF) por suposto envolvimento na Operação Porto Seguro, num esquema que envolvia tráfico de influência, falsidade ideológica e corrupção, com pagamento de propina a funcionários públicos, para emissão de pareceres e laudos técnicos em favor de empresas com interesse em processos em trâmite no governo federal, a nova administração deste terminal promove alterações.
Com o objetivo de demonstrar ao mercado seu crescimento e integração, o grupo, formado pelo Tecondi, Termares e Termlog, acaba de modificar sua marca, agora conhecida como Ecoporto Santos. “A nossa ideia, é demonstrar ao setor, através da nossa marca, que temos como base um conceito de ‘sustentabilidade social’. Somado a isso, queremos deixar cada vez mais claro que atuamos com as três empresas integradas, o que nos capacita a oferecer ao mercado algo diferenciado, ou seja, uma solução de ponta a ponta da cadeia, o que reduz custos e aumenta a qualidade, pois é um serviço realizado através apenas de um único interlocutor”, explica o diretor José Eduardo Bechara. Os planos, porém, não param por aí.  “Queremos crescer e temos interesse em adquirir outros terminais nas regiões onde temos rodovias como Rio Grande, Paranaguá e São Sebastião”, afirma.

Ao todo, para os próximos cinco anos, o Grupo vai investir R$ 200 milhões que serão alocados em melhorias, como obras e a aquisição de novos equipamentos. Somente este ano, R$ 75 milhões já foram investidos em equipamentos, como portêineres, adequações de pátios e obras de sustentação. Além disso, o Tecondi deve contar com a ampliação de seu berço para atender a uma nova geração de supernavios. “Os equipamentos já foram comprados e entram em operação no segundo semestre de 2014, mas já estamos seguindo com obras de ampliação de berços”, conclui Bechara.

Fonte: Guia Marítimo – Edição Segurança Portuária Em Foco

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES