Postagem em destaque

GUARDA PORTUÁRIA PARTICIPA DO DESFILE DA INDEPENDÊNCIA

A Guarda Portuária voltou a participar após 35 anos de ausência. A última participação ocorreu em 1982 Ontem (07) a Guarda Portuár...

terça-feira, 25 de junho de 2013

1

EM VITÓRIA-ES, GUARDA PORTUÁRIO É ASSASSINADO



Agente portuário é morto com dois tiros, na garagem do prédio onde mora, em Jardim Camburi - Vitória





O agente portuário Baltazar Fernandes Brambilla, de 32 anos, foi morto com dois tiros durante um assalto, no início da tarde desta quinta-feira (20), no bairro Jardim Camburi, em Vitória. Ele, que também é estudante do curso de Engenharia Civil de uma faculdade particular da capital, estava no estacionamento do prédio onde mora, na rua Ruy Pinto Bandeira, quando foi assassinado.

De acordo com a Polícia Militar, Baltazar tinha acabado de entrar a pé no estacionamento e pegava uma aparelhagem de som na parte de trás do veículo quando foi abordado por dois assaltantes, que também chegaram ao local a pé, anunciando o assalto.

“Assim que ele chegou ao estacionamento, dois amigos dele chegaram atrás, pois os três tinham combinado de estudar juntos. Ele pegava um aparelho de som no carro para mostrar para esses amigos, quando os assaltantes o abordaram”, contou a soldado Coelho, que conversou com os dois amigos do agente portuário.

Os policiais ressaltaram que, no momento em que abordaram Baltazar, os assaltantes teriam revistado-o e então perceberam que ele carregava uma arma. Diante disso, um deles teria atirado, e, em seguida, roubado a arma do agente portuário.

Só que, testemunhas que estavam no local contaram que Baltazar teria reagido ao assalto, tentando pegar a arma que carregava, no momento em que foi abordado e, por causa disso, o assaltante teria atirado.

Além da arma, os assaltantes ainda roubaram o celular de um dos amigos de Baltazar. Eles fugiram em um carro escuro que estaria dando cobertura à ação.

Tio diz que família comemorou aniversário do sobrinho com almoço, nesta quarta 




 

O tio de Baltazar disse que um amigo do sobrinho foi quem avisou que ele havia sido baleado. “Um amigo que estava com ele me ligou dizendo, fiquei sem reação e sem saber o que fazer. Fizemos um almoço na minha casa ontem para comemorar o aniversário dele, que foi no domingo”, contou o empresário Manoel Pepino, 62 anos. O empresário contou que o sobrinho era formado em Direito e estava cursando a segunda faculdade. “Ele tinha muitos planos, já era formado e agora estava estudando novamente. Esse era o sonho dele, ser engenheiro. Era um bom rapaz, um sobrinho atencioso. Estamos profundamente abalados com o que aconteceu”, disse.

 O pai de Baltazar mora em Alegre e foi avisado pelo irmão sobre o crime. “Eu dei a notícia a ele, infelizmente. Ele está vindo para cá”, informou Manoel. O avô do agente, de 76 anos, e um sobrinho estiveram no Hospital São Lucas, nesta tarde, mas assim que souberam da morte dele, saíram do local muito abalados e não quiseram falar com a imprensa.

Emoção e tristeza em enterro


Familiares e amigos prestaram as últimas homenagens ao universitário e guarda portuário Baltazar Fernandes Brambilla, de 32 anos, no Cemitério Parque da Paz, em Ponta da Fruta, Vila Velha, nesta sexta-feira (21).

O corpo do rapaz foi escoltado por colegas de trabalho. O universitário foi assassinado na garagem de casa, nesta quinta-feira (20), após voltar de um almoço com outros dois amigos.

Baltazar foi morto com dois tiros, um no ombro e outro na cabeça. Ele estava entrando de carro, na garagem do prédio onde morava, no bairro Jardim Camburi, em Vitória, quando foi surpreendido por dois criminosos. Para a polícia, o rapaz foi vítima de latrocínio [roubo seguido de morte].

O local do crime foi cercado por curiosos. Segundo a polícia, Baltazar teria reagido ao assalto. Ele estava com um revólver na cintura. Os policiais suspeitam que a arma foi levada pelos bandidos. No sepultamento, integrantes do Sindicato dos Guardas Portuários do Espírito Santo (Sindguapor) estavam revoltados com o crime. Segundo a categoria, os agentes têm autorização para o porte de arma no Estado.

"Existem situações em que o guarda age e ele acaba sendo ameaçado. Ele se vê na obrigação de se resguardar fora da área do porto", argumentou o secretário do Sindguapor, Jorcy de Oliveira.

"Ele era uma pessoa extremamente bacana, batalhadora, correta, amiga. Não tem comentários. O crime aconteceu em plena luz do dia, em uma rua muito movimentada. O bairro é o mais populoso de Vitória e está sofrendo com a criminalidade. Queremos providência das autoridades", acrescentou o diretor do sindicato, Otto Barcelos.



FONTE: Gazeta de Vitória / Folha de Vitória / Tribuna Online / Blog Polícia Portuária Federal – Edição Segurança Portuária em Foco



Vídeo da Tribuna Online sobre o crime:


 






Um comentário:

  1. pra quem conheceu brambila sabe da pessoa bacana que ele era,fica aqui o registro de sentimento e revolta,tamanha foi a brutalidade que ocorreu a sua morte.QUE DEUS ABENÇOE,E CONFORTE A FAMÍLIA.

    ResponderExcluir

LEGISLAÇÕES