Postagem em destaque

GUARDA PORTUÁRIA PARTICIPA DO DESFILE DA INDEPENDÊNCIA

A Guarda Portuária voltou a participar após 35 anos de ausência. A última participação ocorreu em 1982 Ontem (07) a Guarda Portuár...

quarta-feira, 24 de julho de 2013

0

CODESP ABRE LICITAÇÃO PARA OBRAS NO CENTRO DE CONTROLE DO VTMIS



O Centro de Controle vai ser reformado para abrigar o sistema de monitoramento de tráfego de embarcações a ser instalado no Porto de Santos
 
 

A Companhia Docas do Estado de São Paulo (CODESP) abriu certame licitatório para contratar obras de reforma e ampliação das instalações da antiga Ponte de Inspeção Naval, na Ponta da Praia, na Avenida Saldanha da Gama, que abrigará o Centro de Controle do Sistema de Monitoramento de Tráfego de Embarcações (Vessel Traffic Management Information System – VTMIS).

O aviso do edital da licitação foi veiculado hoje (dia 23/07/13), no Diários Oficial da União. Já a aquisição e implementação do VTMIS encontra-se em licitação, com previsão para recebimento das propostas para o dia 10 de setembro. O edital da reforma prevê investimento de 900 mil reais, com prazo de execução de dez meses, a partir da assinatura do contrato. A abertura das propostas está agendada para o dia 9 de agosto de 2013.

O diretor presidente da CODESP, Renato Barco, afirma que o VTMIS possibilitará o monitoramento e gerenciamento, em tempo real, do fluxo de embarcações no canal de navegação e nas áreas de fundeio do Porto de Santos, obtendo  informações para o tráfego dentro do canal de navegação, que servirão, também, para controle de questões ambientais e apoio em situações de emergência. “É mais uma medida que coloca o Porto de Santos no nível dos maiores portos do mundo”, define o Presidente.

Sobre o VTMIS

Barco explica que melhorias nas condições de segurança e de eficiência dos portos são necessárias por uma série de razões, entre as quais as demandas de um comércio internacional em crescimento, a tendência da utilização de navios cada vez maiores, bem como a rapidez com que ocorrem as operações de embarque e descarga de mercadorias. Segundo o presidente, uma evolução na segurança e na eficiência da navegação pode ser alcançada mediante investimentos em sistemas avançados de informações marítimas, a exemplo do VTMIS.

O Porto de Santos vem, desde 1989, avaliando e buscando diversas formas de controlar e gerenciar o tráfego de seus navios por meio desse sistema. Com o surgimento de novas tecnologias de transmissão de dados, na área de radares costeiros e equipamentos de supervisão à distância (câmeras de longo alcance e visão noturna), além das exigências nas áreas de segurança e de supervisão portuária, como o ISPS Code, bem como demandas na área de monitoramento e controle ambiental, o projeto do VTMIS tornou-se realidade.

Para o projeto do VTMIS foram avaliados todos os elementos essenciais, chegando-se a uma alternativa que foi avaliada e aprovada pela Diretoria de Hidrografia e Navegação (DHN) da Marinha do Brasil, em 20/04/10.

Renato Barco considera que a implantação e operação do VTMIS no Porto de Santos é tão importante quanto um sistema de controle de tráfego aéreo para os aeroportos, tendo em vista sua similaridade no que se refere a infraestrutura e  equipamentos.

Equipamentos

O Centro de Controle do VTMIS contará com uma antena VHF para comunicação com as embarcações e receberá dados dos pontos de monitoramento, de uma estação meteorológica e de um marégrafo. Os pontos de monitoramento serão instalados na Ilha da Moela, na Ponta de Itaipu, na região de Conceiçãozinha e na Ilha do Barnabé. Estas áreas foram escolhidas por oferecerem segurança aos equipamentos e possibilitarem cobertura de todo o estuário, que se estende desde o local de fundeio das embarcações até o Terminal Marítimo da Usiminas.

Cada ponto possuirá um radar, câmera inteligente e um transponder AIS (Automatic Identification System), um sistema de identificação automática para a coleta de dados. O transponder receberá os sinais enviados pelos navios. Através desse sinal, a central visualiza a posição, a velocidade e o número de registro do navio  em uma carta de navegação eletrônica, exibida em um monitor – seu movimento é acompanhado em tempo real. Devido a maior parte das pequenas embarcações não emitirem sinais de transponder, a tarefa do radar será identificá-las, até o limite de comprimento de 1,5 metro. A câmera inteligente apontará automaticamente para o alvo localizado pelo radar. Esses recursos serão integrados à gestão de segurança da Supervia Eletrônica de Dados e ISPS Code.

Já a estação meteorológica servirá para monitoramento de intempéries e o marégrafo para identificar os movimentos de preamar (maré alta) e baixa-mar no canal.

O VTMIS faz parte do Projeto de Inteligência Logística Portuária da Secretaria de Portos (SEP), juntamente com o Porto Sem Papel (PSP) e Porto 24 horas, ambos em pleno funcionamento.

Benefícios

A obtenção de dados ambientais (meteorológicos e oceanográficos) é um dos benefícios a ser gerado pelo VTMIS, permitindo à CODESP um melhor estudo dos efeitos de suas atividades no meio ambiente da região. O projeto prevê a implantação de uma rede de sensores ambientais com esse objetivo.

O serviço de controle de tráfego contribui, também, para a salvaguarda da vida humana no mar. Além disso propiciará o acompanhamento, em tempo real, do movimento dos navios nas áreas de fundeio, assim como suas manobras no canal de navegação do porto, gerando informações que permitirão estudos e análises de caráter logístico, estratégico, tático, mercadológico e operacional, que resultarão em economia de tempo e de recursos nas operações portuárias, proporcionando reflexos diretos e indiretos no custo das operações portuárias e na cadeia logística.

O VTMIS contará com um subsistema meteorológico que cumprirá duas funções principais. A primeira é assegurar a operação portuária em condições normais e seguras, medindo em tempo real as variáveis climáticas, tais como visibilidade, temperatura, velocidade/direção do vento e pluviosidade. A segunda diz respeito à calibração automática dos instrumentos de radar, que têm seus sensores de processamento de sinais interligados com os sensores de velocidade do vento e pluviosidade, a fim de procurar fazer tratamento na imagem de radar gerada na tela dos operadores de tráfego. Diante de uma chuva muito forte, o radar sofre muita interferência das gotículas de chuva, tendo sua leitura comprometida.

Já o principal objetivo do subsistema oceanográfico do VTMIS  é monitorar as condições oceanográficas do porto de Santos, a fim de garantir a segurança das manobras de entrada e saída dos navios, pelo canal de entrada da Barra, e a proteção ambiental do complexo portuário. A altura das marés será registrada em tempo real e comparada, imediatamente, com o calado de cada navio, de acordo com informações da própria embarcação, para que a operação portuária seja completada sem riscos à segurança da navegação.

 

 Fonte: Codesp




Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES