Postagem em destaque

PF FLAGRA PORTUÁRIOS COM PACOTES DE COCAÍNA NO CORPO PARA EMBARQUE EM NAVIO

Trabalhadores do Porto de Santos tentaram levar carregamento até navio atracado no cais, que foi cercado pela Guarda Portuária. Tablete...

sábado, 2 de agosto de 2014

0

CURSO DE SUPERVISORES DE SEGURANÇA PORTUÁRIA NÃO SERÁ REALIZADO ESTE ANO



A Comissão Nacional de Segurança Pública nos Portos, Terminais e Vias Navegáveis (Conportos), não irá realizar neste ano o curso de Supervisor de Segurança Portuária (SSP), ou PFSO – Port Facility Security Officer - Funcionário de Proteção das Instalações Portuárias, na sigla em inglês.
Toda Instalação Portuária deve ter uma pessoa designada como responsável pelo desenvolvimento, implementação, revisão e manutenção do plano de proteção das instalações portuárias e pela ligação com os oficiais de proteção do navio com os funcionários.
O curso, reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC), visa capacitar os empregados de instalações portuárias para combater ou reagir às ameaças contra a segurança, como a pirataria, ataques à mão armada, terrorismo, contrabando, roubo de cargas e os danos colaterais quando ocorrem incêndios, explosões ou ataques nas proximidades de um navio.
No ano passado, a 14ª edição deste curso foi realizada no Rio de Janeiro, pela primeira vez fora de Brasília. O curso tem validade de cinco anos, após este período o supervisor deverá participar de um curso de atualização.
CASSP
Também não será realizado este ano o Curso de Atualização para Supervisor de Segurança Portuária (CASSP). Até o momento ocorreram duas edições deste curso, sendo uma em 2010 e outra em 2011.
Plano de Segurança das Instalações Portuárias
O objetivo do curso é formar Supervisores de Segurança Portuária, responsáveis pelo desenvolvimento, implementação, revisão e manutenção do plano de segurança das instalações portuárias, que são fundamentais para o cumprimento do ISPS Code, o Código Internacional contra ataques terroristas e outros ilícitos nos portos e navios.
No curso são abordados os pontos principais do ISPS Code, buscando a integração entre teoria e prática, por meio de debates, discussões em grupo, estudo de casos e exercícios. O ISPS Code consiste basicamente em controlar o acesso de pessoas, veículos e cargas nas instalações portuárias e na interface navio porto como também monitorar toda a movimentação nos terminais e no porto.
O curso da Conportos atende às exigências da Organização Marítima Internacional (IMO), constante no Código Internacional para a Proteção de Navios e Instalações Portuárias (ISPS Code). Os 162 países signatários da IMO, incluindo o Brasil, se comprometeram a uniformizar as ações por parte dos governos, tanto na segurança quanto no mercado internacional. No Brasil existem 234 instalações portuárias (portos e terminais) que atuam no comércio exterior e que são obrigados a implantar o ISPS Code.
Conportos
A Comissão Nacional de Segurança Pública nos Portos, Terminais e Vias Navegáveis (Conportos) foi criada pelo Decreto 1.507 de 30 de maio 1995, alterado pelo Decreto nº 1.972 de 30 de julho de 1996, segundo informações do Ministério da Justiça.
A comissão tem por objetivo elaborar e implementar o sistema de prevenção e repressão a atos ilícitos nos portos, terminais e vias navegáveis.
A Conportos é um colegiado composto pelo Ministério da Justiça, que a preside; Ministério da Defesa, representado pela Marinha do Brasil; Ministério da Fazenda; Ministério das Relações Exteriores e Ministério dos Transportes.
Preside a comissão a secretária nacional de Segurança Pública, Regina Miki, e os serviços de apoio são prestados pelo gabinete da Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP). Conta, ainda, com a participação de representantes do Departamento de Polícia Federal e da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).




Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES