Postagem em destaque

NOVO SISTEMA DE ACESSO NO PORTO DO RIO

CDRJ realiza primeiro teste do novo sistema de acesso automatizado de veículos no Porto do Rio A Superintendência da Guarda Port...

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

13

SUPRESSÃO DE POSTOS DA GUARDA PORTUÁRIA COMPROMETE A CERTIFICAÇÃO DOS PORTOS NO PARÁ


Foto: Site Portogente

Na última segunda-feira (11), em decorrência do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) de 2013/14, assinado pelos sindicatos e pela Companhia Docas do Pará (CDP), teve início um novo turno de revezamento para todos os empregados que atuam na área operacional.
Na Guarda Portuária, com o novo horário, os guardas portuários não estão mais cumprindo regime extraordinário, alegando a CDP que é para evitar onerar os cofres da Companhia, preferindo deixar desta forma, muitos postos desguarnecidos.
Segundo foi apurado pelo Portal Segurança Portuária Em Foco, o supervisor de recursos humanos já se pronunciou em outras épocas que o RH não se opõe à convocação de guardas para serviço extra, desde que justificadas pelos gestores do setor da Guarda e desde que 50% das folgas sejam preservadas e as convocações sejam aceitas pelo empregados.
Segundo alguns guardas ouvidos, o Supervisor de Segurança do porto de Belém, Alan Silva, teria dito que a supressão de postos seria ordem do Diretor Financeiro Olívio Gomes, pois seria preferível alguns postos de serviço dos portos de Belém, Miramar e Outeiro ficarem descobertos ao invés de convocar guardas para cumprirem regime extraordinário, para não onerar as finanças da empresa. Porém, procurado o referido diretor por alguns guardas, este apenas afirmou que a CDP suprimiu postos terceirizados como forma de conter gastos para garantir a chamada dos guardas concursados de 2012, inclusive desconhecendo que postos da Guarda Portuária estejam ficando descobertos, aliás, medida com o qual não concorda.
Alguns guardas ainda têm procurado o SEGPEMFOCO para dizer que estão sendo obrigados a trabalhar na intrajornada, em desrespeito ao direito do trabalhador de ter a sua hora de almoço e descanso, principalmente aqueles que são escalados no Porto de Outeiro, quando a própria CDP sempre fez questão que os seus empregados não trabalhassem na intrajornada.
Atualmente, neste porto, as escalas diárias têm vindo com muita freqüência apenas com um guarda escalado na portaria (50% do efetivo), não existido mais rondas periódicas, pois, também, foi suprimido o posto da VTR fixa nesta unidade.
Privilégios
Diferente do que vinha acontecendo anteriormente, as folgas nas escalas diárias dos guardas que estão no horário novo não estão sendo informadas, acredita-se, para que não se saiba a disponibilidade do quantitativo e o nome dos guardas que estão de folga e disponíveis para cumprirem regime extraordinário, em detrimento ao risco quanto à segurança, principalmente, dos portões de acesso e das rondas periódicas necessárias.
Isto ocorre principalmente nos portos de Belém e Outeiro, em que postos foram reduzidos, no entanto, extras são liberados para os guardas atuarem como uma espécie de secretários da Supervisão de Segurança do Porto de Belém, já que as secretárias e recepcionistas foram deslocadas para o Monitoramento.
Certificação em Risco
Segundo alguns guardas portuários mais antigos ouvidos, a supressão de postos de trabalho e a diminuição de guardas em cada posto é um processo que vem se arrastando há anos, num verdadeiro processo de sucateamento gradativo da Guarda Portuária, contrariando os Planos de Segurança dos Portos e colocando em risco as suas certificações. Isso tudo fica comprovado, principalmente, no porto de Belém, cujos litorais e pátio de contêineres, mesmo com navios operando, ficam totalmente desguarnecidos.
Os guardas portuários também denunciam que outra medida arriscada que vem sendo tomada pelo Supervisor de Segurança Portuária de Belém (SSPBEL) é preencher todos os postos existentes hoje nas escalas diárias, porém, o mesmo guarda portuário aparece em mais de um posto nessa escala. Isso ocorre nos três portos da região metropolitana de Belém, já que as escalas apresentam um mesmo guarda escalado no cadastro e numa portaria de acesso de veículos ou pedestres, portanto, descobrindo totalmente essas portarias quando o guarda se desloca para o cadastro.
Sindicatos
Em uma assembléia do Sindicato da Guarda Portuária (Sindiguapor), ocorrida na última quinta-feira (14) o SSP do Porto de Belém e Gerente de Segurança (Gerseg) em exercício, Alan Silva, afirmou que vai deixar os píeres do Terminar Petroquímico de Miramar descobertos e não vai convocar guardas para cumprirem regime extraordinário, mesmo sabendo que os píeres são portas de entradas dos tripulantes e, como rezam os planos de segurança, o controle de acesso e impedimentos às embarcações, quando necessários, ficam ao encargo dos guardas portuários; sem contar os riscos de sinistros, como o ocorrido recentemente em Miramar que, não fosse a intervenção do guarda portuário de plantão no píer II, um incêndio de grandes proporções poderia ter acontecido.
Essa afirmação do SSP Alan causou a maior revolta na categoria, fazendo com que os associados presentes informassem a este Supervisor que a Cesportos e Conportos serão notificadas pela categoria sobre a supressão de postos após a implantação do novo horário e que, durante as visitas de certificação tudo, como sempre, é mascarado, já que nesses dias e somente nesses, todos os postos são cobertos, pois guardas de serviço em outros portos são levados para o porto que vai ser certificado e deixam de gozar a intrajornada, justamente para que todas as deficiências de postos descobertos não sejam evidenciadas.
Segundo o Portal da Navegação, “não se ouviu mais falar nada sobre o Sindicato dos Portuários - SINDIPORTO, isto depois que o seu titular assumiu uma vaga no Conselho de Administração (CONSAD). Agora, tudo na Santa Paz. Os portuários, associados do SINDIPORTO, pelo que se observa já estão com saudades da diretoria anterior, com justíssima razão. Agora, sorri Carlos Rocha”.







13 comentários:

  1. Esse artigo é o retrato mais fiel do que é hoje a GP da CDP. Se alguém disser o contrário é porque mente e é improbo. Aliás, faltar com a verdade é praxe entre a maioria dos comissionados; mentir no exercício da função publica é improbidade administrativa, mesmo assim ficam nos cargos.
    Senhor sspbel, o que onera as economias DA CDP não são os trabalhadores quando tiram serviços extras, pois, como diz o supervisor de RH, se são convocados é porque há necessidade. O que onera a CDP são contratos, obras e serviços superfaturados, contratos onde, quase sempre, há alguma relação estreita de quem vence o contrato com alguém na Cia, aqui podemos citar o contrato com a firma que atraca embarcações, contrato secular sempre com a mesma pessoa, sem contar que essa atividade é fim, portanto, não pode ser terceirizada; compra de equipamentos que só vivem no prego (catracas, coletores, condicionadores de ar, câmeras de CFTV, etc) e cuja manutenção é duvidosa; postos de vigilância por contratado no valor de 4.500,00 – o guarda que vai entrar agora terá como base vencimento de 1.322,00; estações de tratamento de água terceirizadas com valores altíssimos e um péssimo serviço prestado, o que não acontecia quando era operada por servidores da casa; compra de lanchas no valor de 90.000,00 cada, hoje verdadeiros elefantes brancos, todas no prego e apodrecendo sob as intempéries e cuja manutenção é feita por oficinas de fundo de quintal (a de Miramar até afundou e o SSP à época, hoje SSP de outeiro, nem sindicância respondeu, pois amarrou a mesma de forma incorreta); convênios com postos de gasolina, cujos preços são os maiores da cidade; participação de lucros dos diretores da Cia, como a alguns anos atrás, no valor de 40.000,00 para cada um dos três diretores, onde nesse mesmo ano a PL a ser rateada entre os cerca de 400 empregados foi de 58.000,00; diárias de 80.000,00 para dois empregados irem fazer treinamento no RJ, onde um deles, extra quadro, lá era domiciliado; dirigentes liberados pelo maior salário, agora em número de seis, verdadeira mordaça institucionalizada e que os pseudos sindicalistas aceitam de bom grado (vejam só: enquanto o base do trabalhador da CDP é de 790,00, nível 1 da tabela salarial, no ACT firmado com as diretorias atuais dos sindicatos foi estabelecido um base para os dirigentes liberados no valor mínimo de 6.800,00 ou o maior salário, que pode ainda dobrar esse valor; criação, como recentemente, de quase 50 cargos comissionados, sem quaisquer justificativa, verdadeiro cabides de empregos; servidores serem deslocados para assumirem cargos de confiança em outros municípios, ganhando 40% de ajuda de custo, mesmo tendo inúmeros outros domiciliados com formação e habilidade nesses municípios que poderiam estar a frente dessas funções gratificadas; gastos de milhões (em razão de valores pagos corrigidos) com causas trabalhistas, tudo por processos equivocados de gestão que se arrastam por anos a fio na CDP; multas e mais multas que a Cia sofre das agencias reguladoras e dos órgãos intervenientes por conta de descumprimento de legislações portuárias, trabalhistas e afins, fruto também de gestores equivocados; funções como a de supervisores de segurança portuária, “curso’ de uma semana, função essa que não se entende porque é comissionada, dada a não complexidade que não se vê nessa função; contratos com organizações de segurança recém criadas para avaliarem riscos que qualquer guarda portuário pode avaliar para a CDP, cujos donos são ex membros da cesportos e que nunca viam não conformidades que agora vêem como consultores, obrigando a CDP a se adequar e gastar, senão os portos não serão certificados, porém, que eles como membros da cesportos nunca deixaram de “ISPSCODEFICAR”.
    SENHOR SSPBEL, ISSO SIM E MUITO MAIS ONERA A CDP.
    Assinam EMPREGADOS DA CDP

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente o que acontece na Cia, e isso precisa ser dito, é que certos gestores, em especial os voltados à GP, tem poder, mas, não tem status, pois é o fator político-bajulador OU DE EXCLUSÃO que rege as indicações para esses cargos, onde a grande maioria nada fez pela categoria, mesmo assim assumem e permanecem nesses cargos por muitos anos. INCLUSIVE ALGUNS COM PASSADOS DUVIDOSOS.
    Num passado não muito distante, quando a nossa turma de guardas ingressou em 2006 na Cia., o efetivo de guardas nas escalas diárias dos portos da região metropolitana – Belém, Miramar e Outeiro - era praticamente o dobro do que vem sendo escaldo hoje. Por incrível que pareça, só vimos aumentar o número de vigilantes, mas, o de guardas não aumenta nem 10% do que aumenta o número de contratados. Com certeza, alguém está ganhando com esses contratos, cujas leis nenhuma os endossam, já que se trata de atividade fim A GUARDA PORTUÁRIA.

    GUARDAS PORTUÁRIOS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colegas do PA que tal acabarmos com essas contratações de empresas terceirizadas aí? Entrem em contato comigo - Jorcy Filho - e-mail: jorcyfilho@yahoo.com.br ou sindguapor@hotmail.com.br e vamos conversar sobre como fizemos aqui no ES para que a justiça trabalhista e o TCU barrassem a contratação de empresas de segurança terceirizadas e exigisse em sentença um novo concurso.

      Excluir
    2. CARO JORCY FILHO,

      TE MANIFESTAS PORQUE SABES QUE A NOSSA CAUSA NAO TEM FRONTEIRAS.

      VOU REPASSAR TEUS CONTATOS PARA ALGUNS COLEGAS AQUI DA GP DO PARÁ, NA ESPERANÇA DE QUE POSSAMOS, ATRAVÉS DO QUE TENS A NOS SOCIALIZAR, CONSERVAR E RETOMAR NOSSAS ÁREAS DE ATUAÇÃO.

      OBRIGADO

      CILENO BORGES

      Excluir
  3. AS PESSOAS PRECISAM OLHAR AO REDOR PARA NÃO IREM NA CONTRAMÃO DA HISTÓRIA.

    SE O NOVO DIRETOR PRESIDENTE DA CDP, POR DIVERSAS VEZES, TUDO REGISTRADO NO SITE DA CIA, RECEBEU GRUPO DE EMPREGADOS PARA OUVIR O QUE ESTES TINHAM A DIZER, COMO PODE, NUMA MESMA CIA, OUTROS EXERCENTES DE CARGOS DE CONFIANÇA E SUBORDINADOS AO DIRETOR PRESIDENTE, APENAS QUEREREM IMPOR AS COISAS SEM OUVIR OS TRABALHADORES.

    ALGUMAS MEDIDAS ULTIMAMENTE TOMADAS E CUJA APLICABILIDADE É SOBRE A GUARDA PORTUÁRIA SÓ TEM SIDO IMPOSTAS, OS TRABALHADORES NÃO TEM SIDO OUVIDOS OU NÃO HÁ QUAISQUER DISCUSSÃO OU DEBATES ANTES DESSAS MEDIDAS SEREM TOMADAS.

    AQUI EM MIRAMAR, A PRECARIZAÇÃO DA OPERACIONALIDADE DO POSTO CADASTRO, AGORA COM A SUPRESSÃO TOTAL DAS TERCEIRIZADAS E ADMINISTRATIVA QUE LÁ ATUAVAM; O REMANEJAMENTO NA 'MARRA" DO ALOJAMENTO DA GP PARA O BANHEIRO FEMININO, FATO ATÉ CONTESTADO PELO PROPRIO DIRETOR PRESIDENTE DA CIA QUANDO LÁ ESTEVE EM VISITA; A SUPRESSÃO DE POSTOS E A NÃO CONVOCAÇÃO PARA EXTRAS QUE PREJUDICA O SERVIÇO, POIS PODERIA SUPRIR ESSA REDUÇÃO DOS POSTOS EM FUNÇÃO DESSE NOVO HORÁRIO, AO QUE PARECE, FOI UMA MEDIDA QUE NEM A DIRETORIA DA CDP E NEM O SETOR DE RECURSOS HUMANOS FORAM CONSULTADOS, O QUE PODERÁ ACARRETAR CONSEQUENCIAS À ORGANIZAÇÃO, NESSE CASO, PORTOS DE OUTROS PAÍSES EXCLUÍREM OS PORTOS DO PARÁ DA ROTA COMERCIAL.

    A CATEGORIA, CASO ISSO TENHA SIDO DELIBERADO EM ASSEMBLÉIA, SE LEVAR ISSO À CONPORTOS, APENAS ESTARÁ EXERCENDO UM DIREITO QUE NOS ASSISTE, NÃO PODENDO ISSO SER ENTENDIDO COMO ERRADO POR PARTE DA GERENCIA E SUPERVISÃO DE SEGURANÇA.

    CILENO BORGES
    GUARDA PORTUÁRIO DA CDP

    ResponderExcluir
  4. esse supervisor está errado e precisa se informar mais sobre as coisas que acontecem no lugar onde trabalha. só para vcs terem um ideia, cada conselheiro do CONSAD (ao todo são 7) ganha por reunião R$2.260,00 sendo que são duas em julho e duas em dezembro, isso fora os gastos com passagens aéreas e hotéis, já que a maioria vem de Brasilia.
    Isso sim é gasto do dinheiro publico, já que muitos nem falam nessa reuniões, só assinam a lista de presença, comem um docinho e salgadinho e tomam um cafezinho e pronto, dinheiro no bolso, fácil fácil.
    E o resto do povo vivendo com 724,00 por mês, Isso é BrasilLLLLLLLLLLLLLL.


    ResponderExcluir
  5. Vocês não tem do que reclamar meus caros guardas, o atual SSPBEL Alan Silva foi flagrado pelas cameras do CFTV do porto de Belém recebendo dinheiro de estivadores para permitir o acesso destes, a pé, pelo portão exclusivo de veículos e sem estarem na lista. Ele foi oficialmente punido com cinco dias de suspensão, isso pra não pegar justa causa e ainda assim assumiu um cargo comissionado da CDP, Chefe da Guarda do Porto de Belém, e muitos aprovaram ainda aprovaram sua nomeação, então não reclamem.
    Já o Gerente de Segurança da CDP era no passado o Gerente da venda de produtos eletrônicos desviados do porto e vendidos no Icuí e na feira da Cidade nova, era também conhecido como "cearazinho do eletrônico", o que vocês esperavam? Exemplos de gestores. Hora não nos façam rir.

    Empregados e Guardas Portuários

    ResponderExcluir
  6. a cdp não faz economia só com horas extras, o café que ela fornece para os servidores, como parte do lanche que reza no ACT, é da pior qualidade, muito ruim mesmo. O que menos tem ali é café.

    empregados da cdp

    ResponderExcluir
  7. O gerseg ou o SSPBEL estão omitindo coisas da diretoria da CDP e da CONPORTOS. Eles, por conta propria, não autorizam as extras e nem a intrajornada, preferindo deixar os postos descobertos e o serviço precário. Ma, tem uM senão. Se no TPO é só um guarda na portaria, então ou o portão fica fecHado durante uma hora. ou o vigilante de algum posto está indo pro portão ou o guarda quando tira só na portaria ta rachando na intrajorNanada. pergunta: como esse guarda faz pra almoçar, jantar e ir no banheiro? QUERO VER QUANDO O CAPA PRETA DA DRT SOUBER DISSO.

    GUARDAS PORTUÁRIOS

    ResponderExcluir
  8. SENHORES,
    HÁ UMA QUESTÃO QUE MUITO TEM SE DISCUTIDO HOJE NA CIA, REFERENTE A GUARDA PORTUARIA. TRATA-SE DA INGERENCIA DO SSPBEL SOBRE OS DEMAIS SUPERVISORES, NO CASO, SSPMIR E SSPOUT. POREM, EM 2008, O INTERINO DO SSP DO PVC, POR NECESSIDADE DE SERVIÇO DEVIDAMENTE JUSTIFCADA E APÓS CONSULTA AO DIRETOR FINANCEIRO, EM UMA SEMANA QUE LÁ FICOU COMO INTERINO, CONVOCOU OS GUARDAS PARA SERVIÇOS EXTRAS, TENDO EM VISTA OPERACIONALIZAR O PLANO DE SEGURANÇA DAQUELA INSTALAÇÃO.
    POSTERIORMENTE, NAS VEZES QUE FOI INTERINO NA SSPOUT, SUPERVISÃO DO PORTO DE OUTEIRO, TAMBÉM AUTORIZOU QUE OS GUARDAS ATUASSEM NAS INTRAJORNADAS, COM ANUENCIA DESSES, POR NECESSDADE DE SERVIÇO E CONSULTA PREVIA AO SUPERVISOR DO RH.
    COM VONTADE, INTERESSE, JUSTIFICANDO E POR QUEM REALMENTE PRESTIGIE A CATEGORIA, É POSSIVEL ISSO SER FEITO.
    DETALHE: NUNCA MAIS ESSE FOI INTERINO EM CANTO ALGUM, MAS DEU SEU RECADO, E OS SINDICATOS SABEM PERFEITAMENTE DISSO, JÁ QUE TODOS OS RELATORIOS DE SERVIÇO (COMUNICAÇÕES INTERNAS) DAVA UMA CÓPIA AOS SINCICATOS, SEM MEDO DE PERDER CARGO OU COISA DESSE TIPO, MUITOS DOS QUAIS MESMO COMO COMISSIONADO, ALERTANDO A CIA SOBRE DESVIO DE FUNÇÃO, DECUMPRMENTO DE CLAUSULAS DE ACORDOS COLETIVOS, PAGAMENTO DO ADICIONAL DE RISCO, PAGAMENTO DA DIFERENÇA PELO FATO DOS GUARDAS ATUAREM COMO INSPETORES, ETC.
    ATT
    CILENO BORGES

    ResponderExcluir
  9. Vamos parar de picuínhas e cuidar da melhoria da Guarda Portuária como instituição de segurança pública. Deixemos os falsos rumores sobre o passado dos companheiros que não foram condenados por esses falsas imputações! Temos que nos focar agora np preenchimento dos postos descobertos e na solução definitiva do problema da terceirização imoral dos postos internos dos portos. Afinal, a função de policiamento é indissociável da atividade de segurança portuária. Sendo esta uma Prerrogativa de Estado e nossas prerrogativas se confundem com Poder de Polícia estatal, já que a lei nos delega diretamente tais atributos em vários diplomas legais, jamais a autoridade portuária poderia delegar esta função, pois limita a atuação do Estado no desempenho das funções de segurança portuária. Inspetor Samuel Castelo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CARO INSPETOR SAMUEL

      COMO CUIDAR DA MELHORIA DA GUARDA PORTUÁRIA SE ISSO NÃO PARTE DOS PROPRIOS GESTORES; COM ESCALAS DIÁRIAS PARA OS PORTOS DE BELÉM, OUTEIRO E MIRAMAR DE ATÉ 09 GUARDAS AO TODO, COM UMA DEFASAGEM DE QUASE 75%, ONDE TRABALHA-SE HOJE COM CERCA DE 25% DO EFETIVO QUE JÁ SE TEVE ESCALADO, SEM DIMINUIÇÃO DE ÁREAS PARA GUARNECER E COM AS OPERAÇÕES PORTUÁRIAS ACONTECENDO NORMALMENTE;DIGA-NOS: QUE SEGURANÇA PUBLICA ESTÁ SENDO EFETIVAMENTE FEITA NAS AREAS INTERNAS E SE TEM COMO ATENDER AS OCORRENCIAS EXTERNAS QUANDO ESSA ACONTECE, SEM QUE OS POSTOS FIQUEM DESCOBERTOS? ONTEM MESMO TEVE UMA EXTERNA EM MIRAMAR, PERGUNTE QUEM DA GUARDA PORTUARIA FOI ATENDER A MESMA, MESMO O PLANTÃO DE MIRAMAR SOLICITANDO APOIO?; SE NAS PROPRIAS REDES SOCIAIS (GRUPO DE "WATZAP") O PROPRIO PRESIDENTE DO SINDIGUAPOR CHAMA OS GUARDAS PORTUÁRIOS DE IMBECIS, MAÇÃS PODRES, CORRUPTOS, PRIVILEGIADOS, PROBLEMÁTICOS, PREGUIÇOSOS E ETC.

      AQUI CLARAMENTE ESTE PRESIDENTE INVERTE SEU PAPEL QUE É DE REPRESENTAR A CATEGORIA, PARA AJUDAR A DIFAMA-LA, INJURIA-LA E ASSEDIA-LA MORAL E COLETIVAMENTE.

      GP CILENO BORGES

      Excluir
  10. Os mais novos, de 2006 e agora de 2012, alguns cujo discurso moralista não é praticado, duvido se ainda estariam na Cia se passassem pelo que passaram os mais antigos. Vejam bem, com a licensa do termo, nós mais antigos comemos o pão que o d.... amassou; vcs não sabem e nunca saberão o que é trabalhar em condições precárias, tomando água da torneira, pisar na lama, buraco, poeira e na agua empossada como era no portão 17 onde só eram dois guardas, trabalhar no sol e chuva, sem banheiros decentes, sem rendição pra nada nem pra almocar, sem direito a nada, estudar no posto ou jogar joguinhos no celular, sem ramal para ligar ou radio pra se comunicar, nem sair cedo pra estudar ou trocar serviço para se formar, sem ar condicionado ou ventilador, com salários sem horas extras (12X36), expostos a toda sorte de insalubridades (cimento, cevada, merda do boi, trigo, pimenta, quimica da madeira, matérias radiotivos, combustíveis, etc), sem EPIS, fardamentos decentes, armamentos velhos, Milhão a noite na miramar ou porque se tirava só ou com o inspetor do lado, com inspetores e chefias que realmente cobravam e puniam os guardas, sem direito a adicional de risco e apenas com 20% de hora noturna, sem direito a opinar ou questionar, com viaturas velhas, vcs não sabem o que é trabalhar num portão de entrada da estiva como era antigamente (não é como hj essa garapa) naquele tempo o guarda tinha que se impor, vcs não sabem o que é trabalhar num portão de embarque mosqueiro, soure e Macapá, vcs não sabem o que é trabalhar nos portos sem iluminação e com toda sorte de gente com que se convivia e circulava no porto, correndo toda sorte de risco e perigo, etc. Vcs, ao invés de nos acusar e suspeitarem de nossas indoneidades e desabonarem nossas condutas, na verdade, deveriam era nos agradecer e muito por tudo que já fizemos em prol da segurança dos portos e pararem de arrotar soberba só porque tem mais estudo, que muitos de vcs não teriam se trabalhassem nas condições que não trabalharam, onde muitos de vcs não eram nem nacidos.

    SUPERVISOR ETERNO ESTRELADO

    ResponderExcluir

LEGISLAÇÕES