Postagem em destaque

CONPORTOS ANUNCIA A DATA DA 17ª EDIÇÃO DO CURSO ESPECIAL DE SUPERVISOR DE SEGURANÇA PÚBLICA PORTUÁRIA – CESSP

O período de inscrição será de 17 de julho a 21 de agosto de 2017 Na última quarta-feira (12) a Comissão Nacional de Segurança Públi...

terça-feira, 10 de maio de 2016

7

EMPRESÁRIOS DO SETOR PORTUÁRIO SUGEREM PRIVATIZAR AS DOCAS




O início do processo de privatização das Docas faz parte também da agenda elaborada pela Conferência Nacional da Indústria (CNI) para o período 2016-2018.

Os empresários do setor portuário querem levantar uma nova bandeira no eventual governo do vice-presidente Michel Temer: a privatização das Companhias Docas. Tabu na era petista, a proposta de transferência de controle das sete estatais responsáveis pela administração dos portos organizados será levada a Temer pela Associação Brasileira de Terminais Portuários (ABTP), maior entidade representativa do setor.
Para o presidente da ABTP, Wilen Manteli, as Docas precisam ser saneadas e recuperar sua capacidade de investir. Elas executaram só 46% do orçamento total de R$ 820 milhões para investimentos no ano passado. Manteli cita apenas uma das distorções acumuladas por essas empresas: o Porto de Santos tem 700 vigias portuários, subaproveitados e com estabilidade de emprego.
O início do processo de privatização das Docas faz parte também da agenda elaborada pela Conferência Nacional da Indústria (CNI) para o período 2016-2018. "Essas administrações públicas encontram-se com baixa capacidade gerencial, elevados passivos trabalhistas e incapacitadas para promover as transformações necessárias para elevar a eficiência dos portos públicos a padrões internacionais", diz o documento.
Na avaliação da CNI, as tentativas de fixar metas de desempenho nas estatais portuárias foram malsucedidas e sua modernização é justamente a parte da Lei dos Portos - sancionada pela presidente Dilma Rousseff em 2013 - que menos avançou.
Nos últimos anos, o governo buscou acelerar a contratação de obras de dragagem nos canais de acesso aos portos, bem como desenvolver a infraestrutura de acesso terrestre, mas esbarrou seguidamente em amarras burocráticas e em um cipoal de recursos de recursos de consórcios que perdiam as licitações. O ex-ministro César Borges, da Secretaria de Portos (SEP), chegou a ventilar a possibilidade de que empresas responsáveis por serviços de serviços de dragagem atuavam em cartel.
São sete companhias espalhadas pelo país: Codesp (portos do Estado de São Paulo), CDRJ (Rio de Janeiro), Codeba (Bahia), Codesa (Espírito Santo), CDP (Pará), Codern (Rio Grande do Norte) e CDC (Ceará). Os terminais que movimentam as cargas já são arrendados à iniciativa privada.
Um sinal de fragilidade das estatais veio no último leilão de novos arrendamentos promovido pelo governo. Em vez de entrar no caixa das Docas, como ocorria no passado, o dinheiro das outorgas pagas pelos grupos vencedores foi para o Tesouro Nacional.
Ciente de que uma possível privatização das companhias tende a ser um processo lento e gradual, a ABTP sugere medidas de transição. Uma das mais urgentes, segundo Manteli, é o fortalecimento dos conselhos de autoridade portuária. Esses conselhos são formados em cada porto por representantes do poder público, do setor privado e dos trabalhadores. Atualmente já podem propor alterações no zoneamento portuário e mecanismos para a atração de cargas, entre outras atribuições. "Os conselhos também poderiam ter autorização para nomear ou destituir gestores", diz o executivo.
De acordo com Manteli, porém, o primeiro passo é garantir a manutenção da SEP. Inicialmente falava-se na intenção de Temer de criar um "superministério" da Infraestrutura, mas a ideia refluiu. "A descontinuidade na Secretaria de Portos tem sido letal", afirma o presidente da ABTP, em referência ao fato de que ela teve sete ministros desde 2007. "Mesmo assim, ela precisa continuar existindo."


Fonte: Valor Econômico / Sindaport.

* Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto, não cabendo a esse Portal a emissão de qualquer juízo de valor.
                                                                                                                                                                                                                                               
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.
                                                                                                                                                                                 
COMENTÁRIOS

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.


7 comentários:

  1. ok canalhas . mas nao vao levar essa . nao sem luta dos portuarios , vamos transformar os portos em trincheiras .
    gp alexandre -es

    ResponderExcluir
  2. À LUTA, SEMPRE!

    CILENO BORGES

    ResponderExcluir
  3. o momento e muito serio . vejam que esses abutres nao esperam nem o governo dos entreguistas e ja partem pra canalhece. o que esse canalha chama de vigias portuarios e na verdade a guarda portuaria . estao conosco em sua alca de mira. temos que nos mobilizar urgentemente.

    ResponderExcluir
  4. Essa mobilização Nacional já deveria ter começado a anos. O que estamos esperando? Primeira luta, virar um órgão independente, sair do âmbito das docas

    ResponderExcluir
  5. Mobilização nacional já! Lutar pra ser um órgão autônomo, sem vinculação com qualquer companhia docas! As próprias docas atrasam a Guarda portuária!

    ResponderExcluir
  6. EU VEJO COMPANHEIROS DA GUARDA PORTUÁRIA FLERTANDO COM A DIREITA . TUDO BEM CADA
    UM TEM A POSIÇÃO POLITICA QUE QUISER , MAS UMA POSIÇÃO POLITICA QUE PODE LHE TIRAR O PÃO DE CADA DIA , AI JÁ É BURRICE DEMAIS. MAS O MOMENTO É DE AGORA QUE
    ELES JA TOMARAM O PODER DE TENTAR SEGURAR A BARRA. PORQUE ELES VÃO VIR PRA CIMA
    DA GUARDA PORTUÁRIA COM FORÇA , COMO JÁ DEMONSTRADO , NESTE MESMO ARTIGO. ONDE OS CAPITALISTA , AGORA COM APOIO POLÍTICO , ESTÃO A VONTADE PARA PERPETRAR OS
    SEUS INTENTOS , RETIRADAS DE CONQUISTAS SOCIAIS E TRABALHISTAS E METENDO O LENHO NA CLASSE TRABALHADORA , ONDE AGORA NÃO EXISTE MAIS O ANTEPARO DE UM GOVERNO DE ESQUERDA PARA BARRAR A SEDE DO CAPITAL.

    GP ALEXANDRE - ES

    ResponderExcluir
  7. Já devia ser uma autarquia há muito tempo a guarda portuária.

    ResponderExcluir

LEGISLAÇÕES