Postagem em destaque

MULHER ASSUME A PRESIDÊNCIA DA CONPORTOS

Nelbe Ferraz de Freitas, 37, foi designada pelo Ministro de Estado da Justiça e Segurança Pública Na última quarta-feira (04), Nel...

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

0

MP AFIRMA QUE CERCA DE 100 PESSOAS PODEM ESTAR ENVOLVIDAS NO ESQUEMA DOS “DEDOS DE SILICONE” NO PORTO




A maioria foi demitida antes mesmo das denúncias serem oferecidas à Justiça

Vinte e dois servidores que trabalhavam no pátio de triagem e no setor administrativo da APPA, nenhum deles em cargo de chefia, foram denunciados pelo Ministério Público.

A maioria foi demitida antes mesmo das denúncias serem oferecidas à Justiça, depois que o MP pediu à Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina que instaurasse uma investigação interna.
O promotor Leonardo Busatto afirmou que o número de envolvidos no esquema dos dedos de silicone pode chegar a 100.
As denúncias foram oferecidas quase 3 anos após o cumprimento dos mandados de busca e apreensão na zona portuária de Paranaguá. Em fevereiro de 2014, agentes da Polícia Federal encontraram 23 moldes de dedos de silicone que, segundo a promotoria, eram usados pra burlar o ponto eletrônico de presença na APPA. Durante a investigação, cerca de 30 pessoas foram ouvidas, e fichas pontos dos funcionários analisadas. Imagens do circuito interno também foram anexadas ao inquérito.  O promotor diz, no entanto, que outros vídeos desapareceram pra, segundo ele, ocultar o envolvimento de mais gente no esquema .
O Ministério Público diz que o grupo fraudou o ponto eletrônico de presença durante os 6 meses que antecederam a varredura na APPA pelos agentes federais.
O promotor é taxativo: havia uma quadrilha organizada trabalhando nos portos do Estado. E atenta para a ausência de fiscalização, facilitando a vida dos donos dos dedos de silicone.
Os denunciados terão tempo para se defenderem das acusações de estelionato e formação de quadrilha. Se condenados, podem pegar até 8 anos de prisão e terão que devolver os salários recebidos por dias de serviço não trabalhados – valores que ainda não foram contabilizados.
Em nota, a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina informou que assim que o caso veio à tona, instaurou um processo administrativo que resultou na demissão de 15 empregados . Outros procedimentos internos de investigação ainda estão em curso, em fase de contraditório.
A APPA diz que também que levou a situação ao Ministério Público Federal.

Fonte: CBN

* Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto, não cabendo a esse Portal a emissão de qualquer juízo de valor.
                                                                                                                                                                                          
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.
                                                                                                                                                
COMENTÁRIOS

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES