Postagem em destaque

NOVO COMANDO NA GUARDA PORTUÁRIA DO RIO DE JANEIRO

Capitão reformado da Polícia Militar, Hugo, já comandou a Guarda Portuária em outra oportunidade No dia seis de setembro, o presid...

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

0

PF DESMANTELA TRÁFICO INTERNACIONAL DE DROGAS EM PORTOS DE SANTA CATARINA




As operações Oceano Branco e Contentor visaram o desmantelamento de grupos criminosos voltados ao tráfico internacional de cocaína

A Polícia Federal, em conjunto com a Receita Federal, deflagrou na manhã da última terça-feira (10), as operações Oceano Branco e Contentor visaram o desmantelamento de grupos criminosos voltados ao tráfico internacional de cocaína que atuam em portos marítimos catarinenses.
Cerca de 450 policiais federais e 25 servidores da Receita Federal cumpriram simultaneamente 104 mandados de busca e apreensão, 45 mandados de prisão preventiva, 15 de prisão temporária, 12 conduções coercitivas e diversos sequestros de bens móveis e imóveis, além do bloqueio de contas bancárias, nos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Pernambuco, Paraíba e Rio de Janeiro.
As investigações revelaram que as quadrilhas atuavam de forma similar, inserindo clandestinamente cargas de entorpecente em contêineres com mercadorias lícitas a serem exportadas, via de regra, para países europeus. Nas duas operações houve apreensões de droga no país e no exterior, em procedimentos de cooperação policial internacional.
Os investigadores resolveram fazer as operações no mesmo dia porque o modus operandi desses grupos criminosos era muito parecido e, inclusive, alguns dos presos trabalhavam para mais de uma organização criminosa.
Operação Contentor
A Operação Contentor, iniciada no final de 2016 em Joinville/SC, levou a cinco grandes apreensões de drogas, inclusive no exterior (Bélgica), totalizando cerca de duas toneladas de cocaína. No curso da investigação, apurou-se que o entorpecente era adquirido em região de fronteira, notadamente com a Bolívia, e entrava no Brasil em pequenos aviões que pousavam no aeroclube de São Francisco do Sul/SC. De lá, era levado para chácaras onde era acondicionado em grandes bolsas para posterior inserção em contêineres que sairiam pelo Porto de Itapoá. As ordens judiciais foram cumpridas nos municípios catarinense de Joinville, São Francisco do Sul, Itapoá e Garuva. Em São Paulo, os mandados foram cumpridos na capital e na cidade de Santos. Também houve mandados em Recife/PE, João Pessoa/PB e Rio de Janeiro/RJ.
Operação Oceano Branco
Já a Operação Oceano Branco, iniciada em março de 2016 pela PF em Itajaí/SC, apreendeu seis toneladas de cocaína em 12 diferentes ações, seis no Brasil e seis no exterior (Bélgica, França e Espanha). A investigação apurou que três grupos criminosos vinham embarcando volumosas quantidades da droga através de contêineres que partiam do Complexo Portuário Itajaí-Navegantes, escondida em cargas de mercadorias como bobinas de aço, abacaxi em latas e blocos de granito. Além das apreensões referidas, foi possível vincular a atuação dos investigados a outros carregamentos interceptados por autoridades policiais na Itália, Dinamarca, Espanha, Arábia Saudita e Turquia, totalizando outras 2,5 toneladas da droga. As ordens judiciais da Operação Oceano Branco foram cumpridas nos municípios de Itajaí, Balneário Camboriú, Navegantes, Itapema, Penha, Tijucas, Florianópolis, São Francisco do Sul, Joinville, todos em Santa Catarina, além de Imbé no Rio Grande do Sul.
Os alvos das operações, na medida de suas participações, responderão pelos crimes de tráfico e associação ao tráfico internacional de entorpecentes, bem como falsificação de documentos e uso de documentos falsos. As penas para cada evento de tráfico internacional podem chegar a 25 anos de prisão, além de 10 anos de reclusão por associação.
Suspeitos e esquema
"A participação dos funcionários dos portos era posterior à colação da cocaína nos contêineres e está relacionada a vigilância da droga no interior dos pátios dos terminais portuários até o embarque do contêiner no navio e aí o segmento da rota normal", afirmou o delegado da PF Fábio Mertens.
Entre os suspeitos, estão motoristas de caminhão, despachantes aduaneiros, funcionários dos portos e de armazéns, além de traficantes.
"Essa droga entrava aqui principalmente via área, através de aviões bimotores e monomotores adaptados que conseguem transportar até 600, 700 quilos de cocaína. Ingressavam em território nacional, pousavam em pequenos aeroclubes com pistas de pequeno porte e aeroclubes pouco movimentados. Essa droga era retirada dos aviões, colocada em veículos e estocada", disse o delegado da PF Alessandro Vieira.
Depois, os caminhões iam para os armazéns, onde a droga era colocada dentro dos contêineres, junto com as com cargas legalizadas. A polícia diz que os exportadores não tinham relação com as drogas e que a participação de alguns funcionários dos portos foi fundamental.
Prisões e apreensões

Foram presas 56 pessoas nas duas operações em 6 estado. Quatro pessoas seguem foragidas. Um dos suspeitos está foragido no exterior. A maioria dos suspeitos foi presa temporariamente e preventivamente, e outras em flagrante, porque, segundo a polícia, estavam com armas de calibre restrito ou drogas no momento da prisão.
Segundo a Polícia Federal, as prisões foram necessárias porque alguns dos envolvidos têm grande poder aquisitivo e poderiam sair com facilidade do país, e outros poderiam interferir nas investigações.
Na Operação Oceano Branco, foram 31 presos e 3 ainda se encontram foragidos. Ocorreram apreensão de armas, veículos de luxo, documentos, documentos falsos, bolsas esportivas similares a apreendidas anteriormente com cocaína, lacres de contêiner e dinheiro em espécie
Na Operação Contentor, foram 25 presos, sendo que 1 ainda se encontra foragido. Ocorreram apreensão de armas, veículos de luxo, dois quilos de cocaína, aproximadamente R$ 10 mil, U$ 98 mil e 13 mil euros em espécie, documentos e equipamentos eletrônicos

Em Joinville, no Norte catarinense, carros de luxo foram apreendidos em uma revendedora. A PF acredita que os sócios estejam envolvidos no esquema do tráfico. A polícia ainda investiga se a loja era usada para a lavagem de dinheiro. Também foram sequestrados veículos em residências de investigados.
Santos

Na Baixada Santista, foram cumpridos seis mandados judiciais de busca e apreensão e outros três mandados de prisão preventiva. Os suspeitos foram levados para a Delegacia de Polícia Federal, no Centro de Santos.
João Pessoa

Dois mandados de prisão e um de busca e apreensão foram cumpridos no bairro Altiplano, em João Pessoa, na Paraíba. Conforme a Polícia Federal, os dois suspeitos são de São Paulo e estavam em João Pessoa desde a sexta-feira (6).
Recife

No Recife, o mandado de prisão foi cumprido no bairro de Boa Viagem, na Zona Sul, onde um empresário de 41 anos que tem uma empresa de conservas em Santa Catarina foi preso. O homem foi encaminhado ao Centro de Observação Criminológica e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife. No cumprimento de um mandado de busca e apreensão, foram apreendidos celular, documentos e mídias de computador.
No bairro da Boa Vista, no centro da cidade, foi cumprido um mandado de condução coercitiva contra uma mulher, que foi levada à sede da PF, no Cais do Apolo, também na região central da cidade. A mulher, segundo a polícia, foi ouvida e depois liberada após prestar depoimento.
Os nomes dos presos não foram revelados pela polícia, mas foi confirmado que há grandes empresários e funcionários dos portos envolvidos.

A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.                                                                                                                                                                                         
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.                                                                                                                                                           
                                                          COMENTÁRIOS                             



Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES