Postagem em destaque

CONPORTOS ABRE AS INSCRIÇÕES PARA NOVO CURSO DE ATUALIZAÇÃO PARA SUPERVISORES

Os candidatos poderão se inscrever no período de 10/07/2018 a 24/12/2018 e realizar o curso até o dia 31 de dezembro Desde ontem (...

segunda-feira, 19 de março de 2018

0

PORTO DO RIO ENTRA NA ROTA DO TRÁFICO INTERNACIONAL DE DROGAS




Apesar de do Porto do Rio ter entrado no tráfico internacional de drogas o número de fiscais que trabalham em plantão de 24h vai diminuir

O Porto do Rio de Janeiro, que está entre os 10 mais movimentados do país, registrando a passagem de aproximadamente 22 mil contêineres por mês, entrou definitivamente na rota do tráfico internacional de drogas depois que outros portos do país passaram a ser mais vistoriado pela Polícia e a Receita Federal.
Os bandidos estão trazendo a droga da Bolívia e da Colômbia e inserindo no meio das mercadorias a serem exportadas para a Europa e a África.

Os fiscais analisam o conteúdo da carga através de scanners, onde quatro equipes se revezam para ficar no monitoramento 24h por dia. Segundo o delegado adjunto do Porto do Rio, Alexandre Lattari, todas as cargas passam pelo scanner.
“todos os contêineres são escaneados em movimento, alguns são escaneados duas vezes, principalmente os contêineres com carga de exportação, sendo que na segunda, por amostragem”, disse o delegado.
“As quadrilhas usam de diferentes artifícios para despistar os fiscais, até em blocos de concreto os criminosos escondem material entorpecente. Os lacres utilizados pelos criminosos são frágeis, eles parecem ser resistentes, mas ao puxá-lo para baixo o plástico se rompe”, completou o delegado.
A conduta principal é inserir o entorpecente dentro do contêiner sem o conhecimento do dono da carga. Não existe uma carga preferencial, qualquer contêiner é passível de carregar entorpecente. Não existe uma preferencia por carga sólida, carga líquida, pode ser em tambores, em granel.
Apreensão na Espanha
Na última segunda-feira a polícia espanhola apreendeu 680 kg de cocaína vindos do Brasil em um navio de carga. A cocaína foi escondida no navio pelo método conhecido como “gancho cego”. Os criminosos colocam a droga num contêiner com mercadoria legal declarada e horas depois de chegar ao porto de destino, o entorpecente é retirado dali. Os 680 kg de cocaína que saíram do porto do rio estavam escondidos em bobinas de papel.
Apreensão no porto

No dia primeiro de março a Receita Federal apreendeu 1.300 kg de cocaína escondido em contêineres que seguiriam para a Bélgica. Duas empresas de exportação responsáveis pela carga oficial, que era de material de construção, estão sendo investigadas.
Apesar de do Porto do Rio ter entrado no tráfico internacional de drogas o número de fiscais que trabalham em plantão de 24h vai diminuir de 8 para 1 a partir do dia 3 de abril. Embora a informação não tenha sido comunicada oficialmente, um comunicado interno já foi feito.
Fonte: R7


Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.                                                                                             
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.                                                                                                                          

                   COMENTÁRIOS                             
Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES