Postagem em destaque

PF FLAGRA PORTUÁRIOS COM PACOTES DE COCAÍNA NO CORPO PARA EMBARQUE EM NAVIO

Trabalhadores do Porto de Santos tentaram levar carregamento até navio atracado no cais, que foi cercado pela Guarda Portuária. Tablete...

segunda-feira, 25 de junho de 2018

0

CONPORTOS PROPÕE MAIOR INTEGRAÇÃO DE ÓRGÃOS


Ideia é que o Seminário seja realizado em todas as regiões do País (Foto: Rogério Soares/AT)

Seminário Regional de Segurança Pública Portuária aconteceu na semana passada, em Santos

Integrar os diversos órgãos que atuam na Comissão Nacional de Segurança Pública nos Portos, Terminais e Vias Navegáveis (Conportos) e, ainda, garantir uma maior inteligência nas ações de combate a crimes nos complexos marítimos brasileiros estão entre os objetivos do 1º Seminário Regional de Segurança Pública Portuária. O evento aconteceu nesta semana em um hotel, em Santos.
A Conportos é formada por representantes do Ministério Extraordinário da Segurança Pública, do Ministério da Defesa (através do Comando da Marinha), do Ministério da Fazenda, do Ministério das Relações Exteriores e do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Em Santos, a coordenação dos trabalhos é da Delegacia da Polícia Federal.
De acordo com o presidente da Conportos, o delegado da Polícia Federal Marcelo João da Silva, padronizar procedimentos é uma das principais metas da organização. E a criação do seminário de Segurança Pública Portuária é uma das ferramentas para alcançar esse objetivo.
“No Brasil, com as dimensões continentais, a gente encontra singularidades locais. E é muito difícil ter uma padronização de norte a sul. Mas podemos diminuir um pouco o espaço, deixando mais profissional e mais técnico o trabalho das Cesportos”, destacou o presidente da Comissão.
Segundo o delegado, a ideia é que o Seminário de Segurança Pública Portuária seja realizado em todas as regiões do País, principalmente no Norte, onde há a preocupação com o crime organizado. O problema, neste caso, é a garantia de recursos para a Comissão Nacional.
Por isso, segundo Silva, o plano, ainda embrionário, é criar uma verba orçamentária própria para a Conportos. Hoje, o orçamento da comissão está atrelado aos recursos da Polícia Federal.
“A ideia é criar um fundo financeiro para subsidiar as atuações. Mas, para isso, precisamos melhorar muito a nossa performance, estar mais presente, realizar ações de maneira mais técnica, com mais seminários e estar mais inseridos no setor. Hoje, as Cesportos (Comissões Estaduaisl de Segurança Pública nos Portos, Terminais e Vias Navegáveis) e a Conportos atuam de uma maneira um tanto tímida. Duas são as palavras que elas têm que trabalhar: integração e inteligência”, disse o delegado.
A diretora-executiva da Polícia Federal, Silvana Borges, ressaltou a importância estratégica dos portos brasileiros, constatada em sua visita às instalações do Porto de Santos na última terça-feira. Ela também citou a necessidade de aprimoramento de procedimentos para manter os portos nacionais seguros. “Basta ler os jornais para verificar o quanto o crime organizado busca se infiltrar nos portos, cabendo, portanto, ao segmento estatal de segurança pública, exercer o seu papel de prover os meios para prevenção e repressão desses crimes”, explicou.
Este trabalho, segundo a diretora da Polícia Federal, deve ser conjunto e envolver, também, os operadores portuários. “A realização desses seminários nos portos brasileiros permitirá o conhecimento das melhores práticas de segurança pública portuária. Eles viabilizarão a atualização do Plano Nacional de Segurança Pública Portuária, bem como das resoluções da Conportos e de todos os procedimentos de controle e fiscalização de responsabilidade da Cesportos”, afirmou Silvana.
LEIA TAMBÉM:SEMINÁRIO REALIZADO PELA CONPORTOS TRAZ NOVAS PERPECTIVAS PARA A SEGURANÇA PORTUÁRIA
Presente no evento, o diretor-presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), José Alex Oliva, destacou a necessidade de debater práticas seguras no cais santista. “O objetivo é a segurança nos portos focando no cidadão, porque a insegurança no Porto reflete diretamente no cidadão. E ele nem sempre se dá conta da magnitude do Porto, da responsabilidade que ele tem e do quanto isso afeta a vida dele”.
Reunindo autoridades, empresários e especialistas do seto, o seminário também debateu a capacitação e o treinamento de supervisores de segurança portuária e os marcos regulatórios do setor, assim como a delegação de competências na segurança portuária.


Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.                                                                                             
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.                                                                                                                          

                   COMENTÁRIOS                             
Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES