Postagem em destaque

CONPORTOS REALIZA PESQUISA COM PROFISSIONAIS DE SEGURANÇA PORTUÁRIA

O formulário de pesquisa foi feito com o objetivo de traçar um perfil dos profissionais de segurança pública A Comissão Nacional de...

LEGISLAÇÕES

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

0

TRAFICANTES ESCONDEM MAIS DE 250 TABLETES DE COCAÍNA EM FUNDO FALSO DE CONTÊINER NO PORTO DE SANTOS



Carregamento tinha como destino o Porto de Roterdã. Droga foi encontrada por equipes da Receita Federal

Pelo menos 252 tabletes de cocaína envoltos em plástico colorido foram localizados, nesta segunda-feira (3), escondidos no assoalho de um contêiner frigorífico (reefer) que seria embarcado no navio ‘Cap San Marco’, que foi invadido por criminosos na Barra de Santos, no litoral de São Paulo. O carregamento tinha como destino a Europa.
A localização da droga, cujo peso totalizou 285 kg, ocorreu durante trabalho de fiscalização e monitoramento das equipes da Alfândega do Porto de Santos e da Polícia Federal. A caixa metálica foi interceptada antes de ser embarcada no navio, que está atracado em um terminal de contêineres da Margem Esquerda, em Guarujá.
O contêiner climatizado armazenava caixas de limões frescos que, aparentemente, não indicavam nenhuma irregularidade. A carga havia sido despachada para seguir até o Porto de Roterdã, na Holanda. Entretanto, uma análise minuciosa ao compartimento fez com que a droga fosse achada no assoalho, que estava elevado.

A equipe do Fisco precisou de uma serra para abrir o piso e localizar os tabletes da droga, que possui alto grau de pureza. Segundo a Receita Federal, é a primeira vez que esse tipo de modalidade de narcotráfico, que consiste em esconder o ilícito sob um fundo falso do contêiner, é registrado durante operações no cais santista.
O contêiner, se não fosse interceptado, seria embarcado no navio ‘Cap San Marco’, de bandeira dinamarquesa, que foi invadido por criminosos enquanto aguardava para acessar o complexo portuário, a 20 quilômetros da costa, no domingo (2). Um tripulante da embarcação chegou a ser rendido e amarrado durante o ataque.
A Polícia Federal investiga a invasão e o que o grupo fez no navio, que teve liberação para atracar no cais no mesmo dia. Um contêiner com lacre foi violado, mas, após vistoria, constatou-se que aparentemente nada de dentro foi levado ou inserido na caixa metálica, que chegou a ser periciada.

Entretanto, ainda durante fiscalização a bordo, equipes da Receita Federal localizaram outro contêiner, que era monitorado pelo Fisco desde a última escala do navio, em Paranaguá (PR). Nele, estavam mais 402 kg de cocaína que, para as equipes, não foram inseridos durante a invasão ocorrida na Barra de Santos.
Fonte: G1 Santos


Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.                                                                                             
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.                                                                                                                          
                   COMENTÁRIOS                             
Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário