Postagem em destaque

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARÁ PROIBE A TERCEIRIZAÇÃO DA GUARDA PORTUÁRIA NA CDP

  Sede da Companhia Docas do Pará - CDP A sentença foi baseada no Decreto nº 9.507/2018. Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJ-PA) pro...

LEGISLAÇÕES

segunda-feira, 22 de junho de 2020

1

GUARDA PORTUÁRIA IMPEDE O ENVIO DE MAIS DE DUAS TONELADAS DE COCAÍNA PARA A EUROPA



Foram localizados 2.180 kg de cocaína em uma carga de soja, com destino ao Porto de Roterdã, na Holanda.
Na última sexta-feira (19), guardas portuários do Porto de Ilhéus, no litoral sul da Bahia, localizam 2.180 kg de cocaína em uma carga de soja, que seria embarcada no dia 27 de junho com destino ao Porto de Roterdã, na Holanda.

A localização ocorreu após os guardas portuários serem acionados pelos trabalhadores do armazém, localizado dentro da área portuária, em virtude da avaria em uma carga quando um big bag contendo grãos de soja caiu no chão ao ser descarregado de um caminhão, vindo da cidade de Barreiras. Quando foram verificar os bags, localizaram tabletes de cocaína dentro dele.

De imediato a Receita Federal do Brasil (RFB) e a Polícia Federal (PF) foram acionadas para a verificação física da carga de 368 toneladas de soja, acondicionada em 456 big bags, em um trabalho que durou quase 24 horas.

Em virtude do tempo para apurar a totalidade da apreensão, da quantidade e do valor estimado dessa apreensão, cerca de R$ 358 milhões, foi acionada a polícia Militar, ali comparecendo uma unidade da Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe) Cacaueira.

Até a chegada da PF e da PM os guardas portuários, isolaram a área e mantiveram a guarda da carga, mesmo se expondo ao alto risco.
Segundo foi apurado pelo Portal Segurança Portuária Em Foco, os guardas portuários, vinculados a Companhia das Docas do Estado da Bahia – CODEBA, mesmo sendo habilitados, trabalham desarmados, enquanto as armas permanecem guardadas no cofre da empresa.
Essa foi a primeira vez em que se verificou, no Porto de Ilhéus, o uso desse tipo de embalagem numa carga. Trata-se, portanto, de uma operação com uma logística divergente do padrão no estado da Bahia. A empresa que faria a exportação também iniciou, recentemente, operações no comércio exterior.
Em virtude da quantidade, e como as drogas estavam identificadas com logotipos diferentes nas embalagens, existe a possibilidade da atuação de diversas células criminosas atuando em uma espécie de consórcio para o envio da droga.
A Polícia Federal prossegue com as investigações para identificação os responsáveis pela carga ilícita.
Essa é a segunda maior apreensão da droga realizada na Bahia, e com ela, só neste ano de 2020, as apreensões já somam mais de 9,5 toneladas, outro recorde histórico.


A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.      
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.

Um comentário:

  1. Parabéns aos guerreiros da Bahia pelo excelente trabalho. Urge o devido reconhecimento à guarda portuária.

    ResponderExcluir

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.