Postagem em destaque

CDRJ É CONDENADA A PAGAR DANOS MORAIS POR NÃO RENOVAR O PORTE DE ARMAS DE UM GUARDA PORTUÁRIO

  O magistrado assinalou que, ao proceder assim, a CDRJ expôs a vida e a integridade física do trabalhador a risco A Companhia Docas do Ri...

LEGISLAÇÕES

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2022

0

CRIMINOSOS INVADEM CADEIA E RESGATAM DOIS TRAFICANTES EM GUARUJÁ

 

Eles são apontados como integrantes de uma organização criminosa que utiliza o Porto de Santos para o tráfico internacional de drogas

Na manhã do dia 14 de janeiro, dois homens apontados como integrantes de uma organização criminosa, foram resgatados de uma cadeia anexa ao 1º DP, localizado no Distrito de Vicente de Carvalho, no município de Guarujá, no litoral de São Paulo.

De acordo com informações obtidas pelo Portal Segurança Portuária em Foco, o resgate dos detidos ocorreu por volta das 5h10, quando os criminosos armados com fuzis, conseguiram acessar o pátio interno pelo alto, utilizando escadas. Tiros foram disparados para evitar a ação dos carcereiros. Com isso, os indivíduos conseguiram escapar.

Segundo a autoridade policial, na ação foram resgatados Roberto Prieto Filho (o Betinho), apontado como uma das lideranças de uma organização criminosa, responsável pelo tráfico internacional de drogas, no Porto de Santos e Pablo Ribeiro Lopes Santos, apontado como responsável pela lavagem de dinheiro e ocultação de bens da quadrilha.

Um terceiro homem, que ocupava a mesma cela, teria se aproveitado do resgate e também fugiu. De acordo com a Polícia Civil, ninguém se feriu na ação criminosa.

Prisão

Os fugitivos haviam sido presos dois dias antes em um escritório no Sítio Paecará, no mesmo município, durante mandado de busca e apreensão, por agentes da Delegacia de Investigação Sobre Entorpecentes (Dise), da cidade de Itanhaém.

Segundo informações da Polícia Civil, no momento da prisão, foram apreendidos relógios importados, dinheiro, máquina de cartão bancário, um tablete de cocaína de alto teor destinada à exportação, anotações do tráfico e um veículo.

De acordo com os policiais que participaram da prisão, eles receberam uma oferta de dois milhões de reais para libertarem os presos.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), os criminosos foram levados à Cadeia em Guarujá, por volta das 23h, apenas para pernoitar, pois no dia seguinte seriam encaminhados à audiência de custódia, e posteriormente, seriam transferidos ao sistema prisional.

Resgate

Segundo apurado pelo Portal Segurança Portuária Em Foco, o resgate ocorreu por volta de 5h. Homens armados com fuzis acessaram o pátio interno da cadeia e efetuaram disparos para evitar ação dos carcereiros.

No resgate, os bandidos pararam um ônibus, que trefegava pela Avenida Santos Dummond, que fica nos fundos da cadeia. Um dos criminosos armados pediu ao motorista que deixasse o ônibus atravessado na via e, em seguida, fugisse do local. Após executar o pedido dos bandidos nós fomos orientados a "sair correndo e se esconder, pois haveria troca de tiros quando a polícia chegasse”, contou o passageiro.

O ônibus foi utilizado para bloquear a via e fechar o trânsito de carros, no intuito de evitar a aproximação de policiais enquanto outra parte do bando resgatava os chefões do PCC.

Outros integrantes da quadrilha usaram uma escada para escalar duas muralhas que dão acesso ao pátio. Uma delas possui 10 metros de altura e arame farpado nas pontas. Eles utilizaram alicates de corte para cotar o arame farpado e os cadeados da cela.

O motorista e o passageiro ficaram escondidos em uma rua sem saída próxima ao local, aguardando o desfecho da situação.

Testemunhas 

Uma testemunha, que estava no ônibus com o motorista, relatou que a ação durou de 15 a 20 minutos. “Quando o veículo foi abordado pelos criminosos, ao olhar para o lado, eu viu três elementos com fuzil disparando tiros para o alto”.

Fuga

Após ser avisada da fuga, a Polícia Militar (PM) emitiu um caráter geral para as viaturas da área, comunicando que a quadrilha utilizou um veículo modelo HB20, de cor branca, para fugir do local. Tiros voltaram a ser disparados, atingindo uma loja de conveniência de um posto desativado localizado ao lado, e a janela de uma casa próxima.

Além desse veículo, outros dois carros usados pela quadrilha foram recuperados pela policia a beira da margem direita do Porto de Santos. O que faz acreditar em uma fuga de barco.

Os objetos e veículos utilizados pelos criminosos na fuga foram apreendidos e encaminhados à perícia. A Corregedoria da Polícia Civil acompanha as investigações. Essa não é a primeira vez que presos foram resgatados dessa cadeia.

Bloqueio de Bens

Após os suspeitos serem resgatados da cadeia para onde foram encaminhados, a autoridade policial à frente do caso representou pelo bloqueio dos bens e valores em nome de ambos, e também nos nomes da esposa e da sogra de Roberto. O Ministério Público manifestou-se favorável à solicitação, e a Justiça acatou o pedido.

O delegado disse, na representação, que a medida é necessária porque, na condição de foragidos, Roberto e Pablo, além de continuarem com as atividades criminosas, dificilmente serão recapturados, devido à facilidade que suas condições financeiras oferecem.

O bloqueio inclui bens como imóveis, carros e valores nas contas/investimentos do líder da facção e de sua mulher. Na determinação, o juiz da 1ª Vara Criminal do Foro de Guarujá, Thomaz Correa Farqui, argumentou que, "em paralelo à existência de indícios veementes acerca das atividades criminosas exercidas pelos averiguados, há ainda comprovação mínima da origem ilícita dos bens a serem sequestrados, o que justifica o respectivo sequestro".

Veja abaixo a reportagem do SBT sobre o resgate:



A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.      

* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos. Caso não tenha conta no Google, entre como anônimo mas se identique no final do seu comentário.