Noticias e artigos em tudo que envolve a segurança nos portos do Brasil

Postagem em destaque

AUTORIDADE PORTUÁRIA DE SANTOS PUBLICA EDITAL DE CONCURSO PARA A GUARDA PORTUÁRIA

As inscrições serão aceitas durante os dias 1º de abril a 06 de maio. A data prevista para a prova é 23 de junho A Autoridade Portuária de...

LEGISLAÇÕES

quarta-feira, 24 de maio de 2023

0

JUSTIÇA DE PORTUGAL CONDENA SETE BRASILEIROS DA QUADRILHA DO MAJOR CARVALHO


Ex-Major Sergio Ricardo de Carvalho - Foto: Reprodução

Segundo a Polícia Judiciária portuguesa, os sete brasileiros foram flagrados transportando uma tonelada de cocaína

O Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa, em Portugal, condenou sete brasileiros por tráfico internacional de drogas, no final do mês passado. Os réus integravam a quadrilha do ex-major da Polícia Militar do Mato Grosso do Sul, Sérgio Roberto de Carvalho, 64, o Major Carvalho, preso na Hungria.

Segundo a Polícia Judiciária portuguesa, os sete brasileiros foram flagrados à 1h55 de22 de maio de 2019 transportando uma tonelada de cocaína no barco de pesca Wood. A embarcação foi interceptada no Oceano Atlântico, em Cabo Verde, a 4.000 quilômetros de Lisboa.

A Polícia Federal do Brasil havia alertado as autoridades portuguesas sobre os fortes indícios de que o Wood estaria a serviço do Major Carvalho, conhecido na Europa como o "Escobar brasileiro", em alusão ao narcotraficante colombiano Pablo Escobar.

Duas lanchas com fuzileiros navais se aproximaram do pesqueiro e quando entraram no barco encontraram os sete homens. Eles estavam apenas com a roupa do corpo e contavam com pouca alimentação na embarcação. Foram apreendidos 999 tabletes da droga prensados em plásticos.

As autoridades de Portugal apuraram que a cocaína tinha um grau de pureza entre 84,8% e 91,6%. Pelos cálculos da Polícia Judiciária, o Escobar brasileiro e os comparsas dele sofreram um prejuízo na ordem de 44 milhões de euros.

Os brasileiros condenados são Edmilson Miranda Gomes, 59, Francisco Gomes Barbosa, 43, Marcos Antônio Teófilo da Silva, 48, José Bezerra Pereira, 68, Janilton Sousa da Rocha, 41, Wálter Santos de Pontes, 40, e Marcelo Teixeira de Lima, 48.

Os seis primeiros são do Rio Grande do Norte. Marcelo é natural de Tacima, na Paraíba.

Edmilson, o piloto do Wood, foi condenado a nove anos. Os demais, todos tripulantes, receberam uma pena de oito anos e seis meses. Eles ficaram presos em Portugal até 4 de abril de 2020 e foram colocados em liberdade porque o prazo de 10 meses de prisão preventiva se excedeu.

A reportagem não conseguiu contato com os advogados dos réus, mas publicará na íntegra a versão dos defensores de todos eles, assim que houver uma manifestação.

Extradição para o Brasil

O barco Wood havia solicitado às autoridades brasileiras autorização para uma viagem entre Recife e Natal entre 2 de maio e 2 de julho de 2019. No dia 4 de maio de 2019, a embarcação, já com a droga a bordo, começou a navegar pelo Atlântico rumo à África.

De acordo com a Polícia Judiciária de Portugal, o Wood viajou sem ter aportado nem desenvolvido atividade pesqueira. Investigadores portugueses acreditam que o barco iria encontrar outra embarcação na cidade de Praia, Cabo Verde, para fazer o transbordo da droga.

O Major Carvalho, apontado como dono da cocaína apreendida pelos fuzileiros navais portugueses, está preso em Budapeste, na Hungria, desde 21 de junho do ano passado, e deve ser extraditado para o Brasil. Ele foi capturado em um hotel de luxo.

Investigações da PF mostraram que o Escobar brasileiro foi o responsável pelo envio de ao menos 49 toneladas de cocaína para a Europa, via portos brasileiros, especialmente os de Santos (SP), Paranaguá (PR), Itajaí (SC) e Natal (RN) e movimentou R$ 2,25 bilhões em três anos.

Fonte: Josmar Jozino – Colunista do Site UOL


Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.      

* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos. Caso não tenha conta no Google, entre como anônimo mas se identique no final do seu comentário e insira o seu e-mail.