Noticias e artigos em tudo que envolve a segurança nos portos do Brasil

Postagem em destaque

OPERAÇÃO CONJUNTA DA GUARDA PORTUÁRIA E POLÍCIA CIVIL PRENDE HOMEM APONTADO COMO INTEGRANTE DO COMANDO VERMELHO

  Ele tinha um mandado de prisão preventiva pelo crime de associação para o tráfico de drogas Na noite da sexta-feira (26/01), a Guarda Po...

LEGISLAÇÕES

sexta-feira, 28 de abril de 2023

0

POLICIA ITALIANA APREENDE 850 KG DE COCAÍNA A BORDO DE GRANELEIRO PROVENIENTE DO BRASIL

 

O navio "Atlas", com bandeira da Libéria, zarpou do Porto de Santos em 23 de março, e chegou a Veneza, no nordeste da Itália, em 17 de abril

Após as informações recebidas de órgãos internacionais através da Direção Central de Serviços Antidrogas do Departamento de Segurança do Ministério do Interior, a Guardia di Finanza de Veneza, juntamente com o Departamento de Operações Aeronáuticas local GdF, procedeu à apreensão de grande quantidade de entorpecentes escondida a bordo do graneleiro de bandeira liberiana Atlas, proveniente do Brasil com destino a Veneza.,

A droga, 850 kg de cocaína divididos em 570 tabletes, estava escondida dentro dos dutos de ventilação que ligam os diversos setores do navio. O casco externo do graneleiro foi posteriormente inspecionado, quando o navio estava fundeado, graças a repetidos mergulhos de mergulhadores da estação naval local da Guardia di Finanza de Veneza, apoiada pela da cidade de Rimini.

Apreensão

Segundo apurou-se, a fiscalização ao navio – um graneleiro com uma tripulação de cerca de vinte marinheiros – teria sido efetuada com base num relatório do Comando-Geral do Gdf.

Em Veneza, segundo a Guardia di Finanza, a invasão supostamente ocorreu em duas fases, uma primeira apreensão de cerca de meia tonelada de cocaína ocorreu na data de terça-feira (18/04). Em seguida, uma nova vistoria realizada na quarta-feira (19/04), levou à descoberta de outros 350 kg da mesma substância. O navio mercante atracou no dia 20 de abril, no Porto de Marghera, altura em que os homens do Gdf puderam concluir a investigação.

Companhia Marítima

A companhia marítima grega Laskaridis Shipping negou, na sexta-feira (21), qualquer envolvimento no transporte de 850 kg de cocaína apreendidos na Itália a bordo de um de seus graneleiros que havia zarpado do Brasil.

"Nem a tripulação, nem a companhia estão envolvidos" no transporte da cocaína encontrada no navio "Atlas", no Porto de Veneza, afirmou a empresa em comunicado.

"A sociedade Laskaridis Shipping, administradora comercial do graneleiro 'Atlas', está colaborando com as autoridades [italianas] na investigação", acrescentou.

O navio "Atlas", com bandeira da Libéria, zarpou do Porto de Santos em 23 de março, e chegou a Veneza, no nordeste da Itália, em 17 de abril.

“A droga, avaliada em 150 milhões de euros (cerca de R$ 830 milhões), estava escondida na tubulação do navio, "aproximadamente 11 metros sob a linha de flutuação [...], em uma parte inacessível do interior [da embarcação], os quais apenas mergulhadores conseguem ter acesso, detalhou a Laskaridis Shipping”.

Máfia Calabresa

O tráfico de drogas na Europa é controlado, em boa parte, pela máfia calabresa 'Ndrangheta, que compartilha o mercado com outras organizações criminosas em função de sua localização geográfica ou suas especialidades (logística, segurança, lavagem de dinheiro).

Segundo a Europol, a agência de cooperação policial da União Europeia, o comércio varejista de cocaína, que procede amplamente de países latino-americanos, representa atualmente um mercado de 7,6 a 10,5 bilhões de euros (entre 42 e 58 bilhões de reais) na Europa.



A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.      

* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos. Caso não tenha conta no Google, entre como anônimo mas se identique no final do seu comentário e insira o seu e-mail.