Postagem em destaque

PF FLAGRA PORTUÁRIOS COM PACOTES DE COCAÍNA NO CORPO PARA EMBARQUE EM NAVIO

Trabalhadores do Porto de Santos tentaram levar carregamento até navio atracado no cais, que foi cercado pela Guarda Portuária. Tablete...

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

0

INFOSEG PARA A GUARDA PORTUÁRIA É VIÁVEL


SEGURANÇA PÚBLICA PORTUÁRIA / GUARDA PORTUÁRIA


Grupo de Trabalho no Porto de Santos realiza Estudo de Viabilidade Técnica para a Celebração de Convênio para ter acesso a Rede INFOSEG.
O Estudo
Um Grupo de Trabalho tendo como coordenador o Inspetor Carlos Roberto Carvalhal, como relator o guarda portuário Fábio Barbosa Mesquita e como colaboradores, os também guardas, Alexandre Aparecido dos Santos e Rubens da Silva Pereira, realizaram durante três meses um Estudo de Viabilidade Técnica para a Celebração de Convênio com o SENASP – Secretaria Nacional de Segurança Pública, objetivando a integração da Guarda Portuária a Rede INFOSEG, para o fortalecimento do seu papel na Segurança Pública Portuária.
O estudo foi fundamentado em Leis, Decretos, Portarias e Resoluções. Levou em consideração também o ISPS Code (International Ship and Port Facility Security Code), que nos insere através da Autoridade Portuária na função de Controle e Fiscalização nos portos e instalações portuárias e o Plano Nacional de Segurança Pública Portuária – PNSPP, que coloca a Guarda Portuária no cumprimento de função de Segurança Pública Portuária.
No presente estudo, foi demonstrado  inúmeras peculiaridades afetas à atuação da Guarda Portuária como agente da Autoridade Portuária e “longa manus” das demais Autoridades intervenientes que atuam no Porto.
Guardas Municipais
As Guardas Municipais tiveram seu acesso a Rede INFOSEG facilitado através da Portaria n° 48 da SENASP, publicada no dia 27/08/12, e assinado pela Secretária de Segurança Pública, Regina Miki,
Além das atribuições exercidas pela Guarda Municipal, a Autoridade Portuária, representada pela Guarda Portuária exerce papel de controle e fiscalização no âmbito federal, seja no cumprimento de normas da União – visto que os portos situam-se em área de jurisdição federal; seja no cumprimento de normas alfandegárias - através da delegação de poderes de controle e fiscalização inerentes à Receita Federal; seja no cumprimento de normas internacionais – no caso o ISPS Code; seja no cumprimento de normas de trânsito, portanto por analogia, também faz jus aos benefícios deste convênio, em prol da Segurança Pública.

O que diz a Lei
O artigo 2° do Decreto n° 6138/2007, que trata daqueles que podem participar da Rede INFOSEG, dentre eles os órgãos federais da área de Segurança Pública, Controle e Fiscalização, as Forças Armadas e os órgãos do Poder Judiciário e do Ministério Público e, mediante convênio os estados, o Distrito Federal e os municípios.
O parágrafo único do artigo 3° do Decreto da Rede INFOSEG deixa em aberto que a mesma pode agregar e disponibilizar dados de outras fontes, desde que relacionados com segurança pública, controle e fiscalização.
O Estudo demonstra claramente que a Guarda Portuária, mesmo não estando inserida na Constituição Federal como órgão de segurança pública, exerce o papel de controle e fiscalização na área de Segurança Pública.
Basta vontade política
No último dia 05 de outubro, o grupo de trabalho protocolou o Estudo na Companhia Docas do Estado de São Paulo – CODESP, endereçado ao Superintendente da Guarda Portuária, Sr. Ézio Ricardo Borghetti.
Borghetti, como já foi Presidente da CONPORTOS - Comissão Nacional da Segurança Pública nos Portos e Ouvidor do Ministério da Justiça pode viabilizar este convênio junto ao SENASP.
Trabalho dedicado a todas as Guardas
O trabalho teve como foco a Guarda Portuária do Porto de Santos, no entanto, ele foi dedicado a todas as Guardas Portuárias. Cada Porto pode adequar o Estudo a sua realidade e pleitear a celebração do Convênio junto ao SENASP.
Caso apenas uma Guarda Portuária consigo este convênio, ele será estendido a todas as outras.
Carlos Carvalhal

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES