Postagem em destaque

GUARDAS PORTUÁRIOS DENUNCIAM DIMINUIÇÃO DO EFETIVO E SUPRESSÃO DE POSTOS NO PARÁ

O quadro caótico vem comprometendo sensivelmente a segurança pública nos portos do Pará No dia 27 de janeiro, uma petição assinada...

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

4

PROPOSTA DE REGULAMENTAÇÃO DA GUARDA PORTUÁRIA É ENVIADA A SEP





Na última terça-feira (27) a Federação Nacional dos Portuários (FNP) enviou a Secretaria de Portos da Presidência da República (SEP/PR) proposta de Regulamentação da Guarda Portuária.

A proposta de regulamentação foi discutida em um seminário realizado pela FNP, no mês de agosto, em Brasília. O seminário reuniu guardas portuários de todo o Brasil, oportunidade em que se debateu profundamente o tema, para ao final aprovar uma Minuta de Portaria, regulamentando a Guarda Portuária, traduzindo as preocupações e anseios desse seguimento portuário imprescindível à segurança do porto.

Agora a SEP aguarda o acolhimento da proposta apresentada e o convite para integrar o grupo de trabalho que trata sobre o tema, conforme compromisso acordado na Casa Civil, em reunião realizada no dia 8 de junho de 2013.

A Federação já esteve duas vezes reunida na SEP com o secretário-executivo Mário Lima Júnior e teve a informação de que já existe um grupo de pessoas trabalhando no Regulamento da Guarda Portuária e brevemente será notificada para indicar quatro nomes para integrar o grupo.

A Proposta

A proposta apresentada foi exaustivamente debatida por quatorze guardas, representando sete portos, que estiveram reunidos em Brasília, cada qual com a visão de acordo com as particularidades do porto no qual exercem a sua função, sendo assim, em que pese o esforço, muita coisa ainda poderá ser melhorada.

Os representantes da categoria que vierem a participar do grupo de trabalho junto a SEP deverão tomar conhecimento do que está sendo desenvolvido e, em conjunto com os demais integrantes, aperfeiçoar a proposta.

Querer impor no regulamento o curso de formação de Supervisor de Segurança Portuária (SSP), para todo o efetivo é utopia. Massificar este curso é um erro, isto irá banalizá-lo, provocando a sua descaracterização. Esta função tem reconhecimento internacional. A instalação portuária tem que registrar os seus supervisores na Organização Marítima Internacional (IMO). Melhor seria se o Regulamento assegurasse a participação da Guarda Portuária nos cursos do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci).

O Regulamento deveria também melhor contemplar o Plano Nacional de Segurança Pública Portuária (PNSPP), citando os compromissos do plano. O PNSPP é o principal referencial, a citação das atribuições da Guarda Portuária e os compromissos desse plano é o que diferencia o guarda portuário do vigilante patrimonial.

Outro fator que deveria ser mais bem trabalhado é a inserção do Código Internacional de Segurança Portuária (ISPS-Code), que em nenhum momento foi citado na proposta, assim como as Resoluções da Comissão Nacional de Segurança Pública nos Portos (Conportos). O Registro de Ocorrência de Ilícitos Penais (ROIP), uma Resolução da Conportos, poderia vir a ser inserido.

Aqueles que vierem a integrar o grupo de trabalho junto a SEP deverão esquecer as suas necessidades locais e pensar na Guarda Portuária como um todo, participando da elaboração do Regulamento de forme que ele dê o maior respaldo possível para o desempenho da atividade desenvolvida pela Guarda Portuária, uma atividade de função pública.
VEJA:






4 comentários:

  1. E uma verdadeira forca tarefa em prol dos nossos enteresses vamos a vitoria.

    ResponderExcluir
  2. Que venha a policia portuaria federal.queremos contar com o aval da nossa querida presidente da republica do br.dilma ruseff.

    ResponderExcluir
  3. TALVEZ A PROPOSTA DA FNP FOSSE MAIS RICA SE MAIS INTEGRANTES DA GP DO BRASIL TIVESSEM PARTICIPADO DESSE SEMINÁRIO NA FNP QUE ENSEJOU A PROPOSTA.

    JÁ QUE HÁ UM COMPROMISSO DA SEP COM A FNP DE SEREM CHAMADOS 4 REPRESENTANTES DOS TRABALHADORES PARA INTEGRAR O GRUPO GOVERNAMENTAL QUE ESTÁ ELABORANDO A REGULAMENTAÇÃO, POR QUE NÃO CHAMAR UM DE CADA REGIÃO, COM EXCEÇÃO DO CENTRO-OESTE.

    UM DO SUL, SUDESTE, NORTE E NORDESTE. ISSO JÁ IMPLICARIA, EMBORA SEJA UM PROJETO NACIONAL, QUESTÕES MAIS PARTICULARES DE CADA REGIÃO, O QUE PODERIA TRAZER UMA AMPLITUDE BEM MAIOR E REALÍSTICA DA GUAPOR NACIONAL.

    ACHO MUITO DIFICIL O GOVERNO DAR EXCLUSIVIDADE A GUAPOR QUANTO A SEGURANÇA E VIGILANCIA PORTUARIA, NÃO TENHO VISTO ESSA VONTADE POLITICA ATÉ AGORA POR PARTE DOS POLITICOS ELEITOS DO PAÍS. E MESMO NOS ORDENAMENTOS QUE JÁ PROIBEM A TERCEIRIZAÇÃO, É TUDO UM FAZ DE CONTA. A MANUTENÇÃO DOS VIGILANTES EM NOSSAS ATIVIDADES É DO INTERESSE DE MUITOS, POIS GANHA-SE MUITO DINHEIRO COM ISSO.

    MAS, CASO PASSE, ENSEJARIA UMA CONTRATAÇAO MUITO GRANDE DE NOVOS GUAPORES.

    AQUI NA CDP ESSA FORMAÇÃO DE SSPS FOI UMA DAS PIORES COISAS QUE ACONTECEU.
    PRIMEIRO PORQUE AQUI SE CRIOU CINCO SUPERVISÕES COM INTERESSES PURAMENTE POLITICOS. E, COM RARAS EXCEÇÕES, A FUNÇÃO AQUI SÓ TEM SIDO PARA PREMIAR CERTOS APADRNHADOS, GANHANDO UM SALÁRIO ALTO FACILMENTE E, QUE É PIOR, BANALIZANDO A FUNÇÃO DE SSP, POIS EXERCEM TRABALHOS BUROCRÁTIOS E ADMINISTRATIVOS E, O QUE É PIOR AINDA, A MAIORIA NÃO TEM O APOIO DA CATEGORIA PARA PERMANECEREM NESSES CARGOS, POIS SÓ VISAM SEUS BOLSOS, BAJULAÇÃO E OBEDIENCIA FERRENHA A QUEM OS COLOCA LÁ, ALGUNS MOSTRANDO CERTO DESPREPARO PARA FUNÇÃO, SEM COMPROMISSO COM A COISA PUBLICA E ATÉ MESMO ASSEDIANDO MORALMENTE INDIVIDUAL E COLETIVAMENTE COLEGAS DE FARDA.

    ESSA É A TRISTA REALIDADE DA CDP.

    AQUI A GUARDA É DESVALORIZADA E COMANDADA POR PESSOAS IMPROBAS, INFELIZMENTE.

    COLEGAS DE PROFISSÃO SOBRE OS QUAIS MUITOS DE NÓS JA PERDEMOS TOTALMENTE A CONFIANÇA.

    ATT

    CILENO BORGES

    ResponderExcluir

LEGISLAÇÕES