Postagem em destaque

PF FLAGRA PORTUÁRIOS COM PACOTES DE COCAÍNA NO CORPO PARA EMBARQUE EM NAVIO

Trabalhadores do Porto de Santos tentaram levar carregamento até navio atracado no cais, que foi cercado pela Guarda Portuária. Tablete...

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

2

GUARDA PORTUÁRIA REALIZA CAMPANHA EDUCATIVA NO PARANÁ





A Guarda Portuária orientou caminhoneiros que circulam pelas imediações do Porto de Paranaguá, na tarde da última sexta-feira (20), sobre cuidados para trafegar na região, como evitar o furto das cargas, prática conhecida como “vazada”, e limpeza correta dos veículos.

De acordo com o superintendente dos Portos do Paraná, Luiz Henrique Dividino, como a Guarda Portuária tem efetivo em todo o entorno do Porto (nos quatro portões, no Silão e nas moegas), pode perceber quais são os problemas cotidianos do trânsito e da segurança da área.
 

“Tendo informação, temos mais condições de combater essas situações que acabam, de certo modo, atrasando o desenvolvimento ordenado dos portos paranaenses. Como o diálogo tem sido a principal ‘arma’ para enfrentar nossos principais problemas, estamos com mais essa campanha externa para orientar os caminhoneiros, nossos parceiros em diversas outras ações”, comenta Dividino.

A campanha orientou sobre direção defensiva nas avenidas e ruas, mesmo as internas, do Porto. São informações como limite de velocidade, a importância de não parar em fila dupla e de não fechar os cruzamentos.

Quanto à segurança, os guardas lembraram a importância de se lacrar as bicas dos caminhões. De acordo com as orientações da Guarda, se os motoristas mantiverem as bicas fechadas com cadeados reforçados, dificultam a ação de delinquentes que, furtam parte da carga para revender. Manter a carga bem segura (acondicionada e fechada) na carreta também ajuda na limpeza das vias.

Os guardas orientaram os caminhoneiros sobre a necessidade de limpar os caminhões (varrer ou passar jatos de ar) nos locais adequados: as moegas e terminais de descarga. Além das informações, os caminhoneiros receberam lista com os principais telefones de emergência: o da ambulância de resgate da Appa (41-3420- 1111/ 8415-2969), da Guarda Portuária (41- 3420-1215/1305), da Polícia Militar, entre outros. 
 
 








Um dos caminhoneiros abordados foi Adilson, de Sorocaba (SP). Ao volante de um caminhão-cegonha, carregado de veículos, ele disse que está sempre em Paranaguá. “Informação nunca é demais. A vida da gente é curta, temos que aproveitá-la com segurança”.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná






 

2 comentários:

  1. Um belo exemplo a ser seguido pela nossa guarda em Santos.
    Somente com orientações e que podemos conseguircom que nossas vias fiquem mais limpa
    e sem congestionamentos.
    Orientação e tudo.

    ResponderExcluir
  2. INFELIZMENTE AQUI NO PARÀ A GUAPOR CAMINHA NO SENTIDO INVERSO. QUEM VIU, OUTRORA, O EFETIVO POR TURNO DE SERVIÇO NO PORTO DE BELÉM, AGORA RESUMIDO A APENAS SEIS GUARDAS DE SERVIÇO.
    OS ACESSOS SE RESUMIRAM, EFETIVAMENTE, A UM GP ESCALADO, CUJO SERVIÇO ESTÁ TOTALMENTE DESCARACTERIZADO, SEJA PELO DESVIO DE FUNÇÃO E ACÚMULO DE ATENÇÃO E MAIOR FADIGA ONDE ANTES SEMPRE FORAM DOIS GP's, SEJA PELA TERCEIRIZAÇÃO ABSURDA QUE AQUI EXISTE, SEJA PELA FRAGILIZAÇÃO E VULNERABILIDADE TOTAIS DOS PORTOS COM O INTERVALO INTRAJORNADA, QUE SÓ RECEBEM O DEVIDO POR ANOS DE SERVIÇO NÃO PAGOS SE FOREM PRA JUSTIÇA.
    A MEU VER, A GP DO PARÁ CAMINHA PARA SUA EXTINÇÃO. EXTINÇÃO QUE POR POUCO NÃO OCORREU NA DÉCADA DE 90, GRAÇAS AO CONCURSO FEITO EM 1997 E DEVIDO A VOLTA DE DEZENAS DE DEMITIDOS INJUSTAMENTE NA ÉPOCA DO GOVERNO COLLOR.

    CILENO BORGES

    ResponderExcluir

LEGISLAÇÕES