Postagem em destaque

NOVO COMANDO NA GUARDA PORTUÁRIA DO RIO DE JANEIRO

Capitão reformado da Polícia Militar, Hugo, já comandou a Guarda Portuária em outra oportunidade No dia seis de setembro, o presid...

sábado, 5 de abril de 2014

2

SOS GUARDA PORTUÁRIA DO RIO DE JANEIRO





No dia 27 de Março de 2014, o Sindicato dos Portuários do Rio de Janeiro (STSPPERJ) realizou um ato público em protesto do sucateamento da Guarda Portuária em razão da omissão e/ou incompetência de seus gestores, o que contou com grande número de componentes desta categoria.


Atualmente a GP do Rio de Janeiro vem trabalhando em condições de total descaso. Viaturas e ônibus em completo abandono onde é comum ter que empurrá-las para que peguem no tranco. Isso, quando não, tendo que se fazer a rendição em carros particulares ou, ainda mais absurdo, na caçamba das viaturas, pondo em risco a vida dos companheiros, em total desrespeito ao Código de Trânsito, passando por vias de intensa movimentação do Rio de Janeiro, até adentrar no Porto. Mesmo tendo um setor de viatura e um contrato de manutenção.
Há mais de três anos, numa licitação para aquisição de uniforme, temos hoje sua entrega incompleta, faltando diversas peças do uniforme, obrigando os colegas a adquirirem as peças por meios próprios, devido ao péssimo estado dos atuais uniformes, o que é completamente irregular, visto que é obrigação da empresa fornecer tanto os uniformes COMPLETOS, bem como os EPI’s. Mas experimenta dizer que não tem calçado, por exemplo, se não te obrigam, achando natural você se virar.
Sede da Guarda


A Sede da Guarda é um antro de ratos e mosquitos. Em dia de chuva, chove mais dentro do que fora. Levou anos na promessa de que seria reformada, e por fim, depois de estar em condições lamentáveis, não reformam, pois agora alegam que será construída em outro lugar. O que levará mais um par de anos. Agora, mau e porcamente, a única reforma que ocorreu foi na área em que se aloja a chefia. Também pudera!


O que é mais grave talvez, por ser afeto a nossa função, é o porte de arma de mais de 90% estarem vencido, e mais uma vez, comprometendo seriamente o plano de segurança do porto, colocando em risco a vida e a atividade dos colegas na fachada, que por dever de oficio, tem a obrigação de agir, afetando a segurança do porto por pura incompetência, omissão ou conivência desta Superintendência em realizar licitações, visto que os portes tem validade previsível e um mínimo de planejamento poderia ter amenizado tal absurdo.
Ainda dentro do plano de segurança, voltamos à idade das cavernas onde tudo é feito de forma manual e “burrocrática” com permissões de papel, sem nenhum outro instrumento de controle eletrônico, biometria, cancelas, cartão magnético, etc. Na base do “cara, crachá”. Há vários anos nosso CFTV se encontra desativado. Em 2007 foi inaugurado um sistema eletrônico de cancelas junto com um CFTV que cobria toda área interna do Porto. Seu funcionamento durou apenas para a visita da CESPORTOS. Descaso com dinheiro público. Se hoje tivéssemos uma vistoria certamente o Porto perderia certificação, tamanha é a omissão com a instituição.
Levamos para a SEP, na ocasião da Regulamentação, todas essas demandas. Levaremos uma comissão da Guarda Portuária do Rio de Janeiro para uma reunião específica com o Ministro, onde externaremos nossas insatisfações e cobrando ações mais enérgicas com relação aos desmandos e descasos ao qual somos submetidos.



Reiteraremos as denúncias feitas no Ministério do Trabalho.
Ainda, estamos enviando uma correspondência ao Consulado dos Estados Unidos e à CONPORTOS demonstrando a grave violação ao ISPS-CODE.
A Guarda Portuária do Rio de Janeiro não esta pedindo melhorias no sentido de avançar em conquistas, as quais seriam justas, mas pede respeito para ter o mínimo necessário para manutenção e exercício de suas atividades.





2 comentários:

  1. E agora Jamil? Esse não era o "cara"? Esse é o maior 171 que conheço, é malandro de escolado.
    Procurem alguém competente no seio da GUAPOR do rio que certamente terá mais inciativa e desempenho em favor dos GP's. Esse foi um dos maiores mercenários dentre os que passaram pelo porto de Belém.

    ResponderExcluir
  2. Vejo que nada mudou...!!! A falta de união dentro da própria Instituição é o maior obstáculo para avançar nas conquistas... Já que não há alguém de dentro que, vista realmente a camisa, devemos trazer alguém de fora que, traga respeito para nossa instituição, que tenha "peito" para levar os pleitos à diretoria, que dialogue com a base, que seja livre de interferências políticas e principalmente, que brigue pelo nosso Porte de Armas. Acredito que existem pessoas assim, sei que tivemos alguém assim na SUPGUA, que em pouco tempo de sua passagem, apesar de muitos terem sido punidos por erros cometidos, sempre teve senso de justiça e imparcialidade em seus atos. Tivemos a possibilidade de crescer, mas não soubemos aproveitar. Todos hão de lembrar que, tivemos voz e representatividade durante a passagem do Major Hugo na SUPGUA. Eramos apoiados nas ocorrências em DP. Tínhamos apoio como funcionários públicos no exercício da função. Efetuamos prisão de sindicalistas e principalmente, ele sempre esteve presente, quasse que 24h dentro do Porto. Nunca vi um SUPGUA enfrentando chuva, na entrada do Porto de Itaguaí, sem luz, saindo pra comprar lanternas e pilhas, do próprio dinheiro, para manter o mínimo de segurança possível para a ocasião. Vi pessoalmente ele ligar para o Presidente e dizer que precisava urgente de um Gerador, o qual chegou no dia seguinte.... isso nunca aconteceu. Foi ele que nos permitiu usar as sinaleiras na cor vermelha. Lembro do dia em que ele dirigiu o ônibus para levar a rendição do Porto no RJ, pois não tinha motorista. Pois é, já tivemos alguém que nos apoiava e defendia a GP. .... Lembrem-se disso.

    ResponderExcluir

LEGISLAÇÕES