Postagem em destaque

CONPORTOS ANUNCIA A DATA DA 17ª EDIÇÃO DO CURSO ESPECIAL DE SUPERVISOR DE SEGURANÇA PÚBLICA PORTUÁRIA – CESSP

O período de inscrição será de 17 de julho a 21 de agosto de 2017 Na última quarta-feira (12) a Comissão Nacional de Segurança Públi...

sábado, 10 de maio de 2014

0

ALFÂNDEGA DO PORTO DE SANTOS APREENDE BRAZUCAS FALSAS



A Alfândega do Porto de Santos, no litoral de São Paulo, apreendeu 3.800 bolas “Brazucas” falsificadas. O produto imita a bola oficial da Copa do Mundo Fifa 2014. Segundo a Receita Federal, a tendência é que, até a Copa, aumente o número de produtos falsificados chegando pelos portos brasileiros.
A carga partiu do Porto de Ningbo, na China e tinha como destino o Porto de Suape, em Pernambuco. De acordo com o inspetor-chefe da Alfândega do Porto de Santos, Cleiton Alves, foi identificado que as bolas eram falsas. “A Alfândega se deparou com a baldeação de um contêiner que estava vindo da China e ia para o Nordeste do Brasil. Nessa análise, foram encontradas 3.800 bolas que imitam a 'Brazuca' além de 7.000 brinquedos sem a etiqueta do Inmetro, então essas mercadorias serão apreendidas”, explica o inspetor.

A Receita Federal estima que a mercadoria apreendida esteja avaliada em torno de R$ 140 mil. Todo o material apreendido será destruído. “O produto não será doado, porque a bola é feita de látex, e o látex, para ficar macio, é misturado com um produto que é cancerígeno. Se uma criança coloca essa bola na boca, ela pode vir a ter câncer no futuro. Por segurança, serão todas destruídas”, diz Cleiton.


Vídeo TV Tribuna
No ano passado, a Receita Federal apreendeu 200.000 bolas 'Cafusas', da Copa das Confederações. Com isso, o inspetor ressalta que a fiscalização está mais intensa, devido aos jogos sediados no Brasil. “Desde o ano passado, estamos fazendo uma fiscalização rigorosa nesses produtos esportivos, principalmente por causa da Copa e da Olimpíada. Os fraudadores estão tentando fugir do Porto de Santos”, finaliza o inspetor.

Carregamentos com bolas, camisas, agasalhos e brinquedos estão passando por um pente fino da Receita Federal. O órgão recebeu reforço de 20 servidores no ano passado, e mais 18, no início deste ano. Parte deste efetivo atuará na fiscalização de produtos importados para evitar falsificações.
Desde setembro, todos os contêineres de importação que desembarcam em Santos devem ser vistoriados por scanners. Esta inspeção identifica irregularidades que são, então, confirmadas em uma vistoria física. Cargas vindas de portos chineses são as que mais chamam a atenção dos fiscais.
O contêiner com as brazucas falsas passou por esse processo. “elas (as cópias) estavam declaradas como bolas e foram passadas no scanner. Mas a falsidade só foi verificada quando foi aberto o contêiner. Confirmaram-se as bolas e alguma coisa a mais no scanner, mas isso foi comprovado na vistoria física”.
Cleiton explicou que o importador da carga será responsabilizado pela fraude. Além disso, a empresa detentora da marca que foi falsificada pode solicitar a apreensão judicial dos produtos e a instauração de um processo penal.
Uma das bolas apreendidas fará parte do acervo do Museu de Produtos Contrafeitos, mantido pela aduana. Ela funciona no prédio da Alfândega de santos, no Centro, e é aberta ao público. O restante das mercadorias será destruído por ser feito com materiais de origem desconhecida. O fitalato, composto usado na fabricação das bolas, por exemplo, pode causar câncer.


Fonte: G1 / Jornal A Tribuna – Edição Segurança Portuária Em Foco





Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES