Postagem em destaque

NOVO COMANDO NA GUARDA PORTUÁRIA DO RIO DE JANEIRO

Capitão reformado da Polícia Militar, Hugo, já comandou a Guarda Portuária em outra oportunidade No dia seis de setembro, o presid...

domingo, 6 de novembro de 2016

0

DUPLA QUE FEZ ARRASTÃO FUGIU PELO MAR E ATIROU EM LANCHA É CONDENADA




Somadas, as penas ultrapassam os 80 anos de reclusão. O crime ocorreu em outubro de 2015

A Justiça Federal condenou dois homens pelo arrastão cometido em 19 de outubro de 2015, no Shopping Ferry Boat Plaza, em Guarujá. Durante fuga cinematográfica pelo mar, os réus ainda atiraram na direção da lancha Leão Marinho, da Receita Federal. Somadas, as penas da dupla ultrapassam 80 anos de reclusão.
Em razão de terem sido presos em momentos diferentes, Átila Santana Chagas e Éric Henrique Moreira dos Santos responderam a processos distintos, embora relacionados aos mesmos fatos. Átila foi condenado há 35 anos e oito meses. A pena imposta a Éric atingiu 44 anos, nove meses e 13 dias.
As ações penais tramitaram pela 5ª Vara Federal em Santos e foram julgadas pelo juiz Mateus Castelo Branco Firmino da Silva. A decisão não é definitiva, cabendo eventuais recursos ao Tribunal Regional Federal (TRF) da 3ª Região. Castelo Branco fundamentou a pena maior para Éric em razão de sua reincidência.
Acompanhados de um adolescente e mais cinco comparsas, Átila e Éric arrombaram uma loja de bijuterias e uma ótica do Ferry Boat Plaza. Na sequência, a quadrilha roubou o guichê de uma empresa de ônibus existente no local e passageiros de uma barca que faz a travessia Guarujá-Santos.
Os marginais portavam pelo menos quatro armas de fogo, entre as quais um revólver 38 e uma pistola calibre 6,35 milímetros. Mediante ameaça de morte, eles retiraram da barca um homem. Feito refém, o passageiro foi obrigado a entrar em uma pequena embarcação com motor de popa atracada ao lado. Denominada Pingo, ela foi usada na fuga.
Neste momento, a notícia do arrastão chegou ao conhecimento de uma equipe da Receita Federal, que navegava pelo canal do estuário com a Leão Marinho I. Um analista tributário estava a bordo e Átila atirou em sua direção, sem atingi-lo. Éric também apontou uma arma para o barco oficial.
Câmera
Por ser blindada, a lancha resistiu aos disparos. Uma câmera da Leão Marinho I filmou a ousada ação do bando. A gravação contribuiu para a identificação de Átila e se constituiu em importante prova do processo. Este acusado conseguiu escapar com outros parceiros, mas foi capturado durante operação da Polícia Civil, no último dia 25 de maio.
Após os tiros na direção da lancha da Receita, os criminosos seguiram com o Pingo até a margem de Santos, na altura da Rua do Peixe, na Ponta da Praia. Eles abandonaram o refém no barco e fugiram a pé para diversas direções. Éric e o adolescente foram detidos momentos depois por policiais militares, sendo o adulto autuado em flagrante.
Castelo Branco condenou Átila e Éric por dois furtos e dois roubos, todos consumados e qualificados; por seis tentativas de latrocínio e, ainda, por corrupção de menor, porque cometeram os delitos acompanhados de adolescente. O juiz federal destacou nas sentenças a “atuação da associação criminosa”, que agiu “de forma ousada, desenfreada e truculenta”.
Pela análise do vídeo juntado ao processo, o magistrado concluiu que, no mínimo, cinco tiros foram dados na direção da lancha da Receita. De acordo com ele, isso “demonstra a intenção de matar para assegurar a impunidade dos crimes e a detenção dos bens subtraídos”.

* Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto, não cabendo a esse Portal a emissão de qualquer juízo de valor.
                                                                                                                                                                                          
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.
                                                                                                                                                
COMENTÁRIOS

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES