Postagem em destaque

PF FLAGRA PORTUÁRIOS COM PACOTES DE COCAÍNA NO CORPO PARA EMBARQUE EM NAVIO

Trabalhadores do Porto de Santos tentaram levar carregamento até navio atracado no cais, que foi cercado pela Guarda Portuária. Tablete...

segunda-feira, 27 de março de 2017

0

ANGPB E SINDIGUAPOR-RJ BUSCAM APOIO EM BRASÍLIA PARA A GUARDA PORTUÁRIA


Da esq. para a dir.: Fábio Rocha (diretor da ANGPB), Marco Jamil (diretor da ANGPB), Lucas Bernardo (diretor da ANGPB), Dejacy da Conceição (presidente do SINDIGUAPOR-RJ), Mario Paiva (diretor da ANGPB), Vilmar Santos (presidente da ANGPBB), João Felipe Rangel (vice-presidente SINDIGUAPOR-RJ).

O mais importante para a Guarda Portuária do Brasil seria dar continuidade à PEC 59/2007

Nos dias 21, 22 e 23 de março, diretores da Associação Nacional da Guarda Portuária do Brasil - ANGPB, juntamente com o Sindicato da Guarda Portuária do Estado do Rio de Janeiro - SINDIGUAPOR-RJ, estiveram em Brasília com o intuito de buscar apoio entre os deputados para as demandas da Guarda Portuária.
Na oportunidade, foi protocolado ofício no gabinete do Deputado Federal Laudívio Carvalho (SD/MG), relator do Projeto de Lei 3722/2012, que revoga o Estatuto do Desarmamento, solicitando uma correção no texto do projeto, permitindo assim o porte de arma, mesmo fora de serviço, para os Guardas Portuários.
Continuando sobre o tema, os diretores visitaram os gabinetes do Deputado Federal Capitão Augusto (PR/SP), que foi eleito presidente da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado - CSPCCO, além dos deputados Ademir Camilo (PTN/MG) e Paulo Pimenta (PT/RS), que sempre apoiam os representantes da GPort quando em Brasília.
No centro: Dep. Fed. Wadih Damous (PT//RJ) e Dep. Fed. Paulo Pimenta (PT/RJ)

Ainda na Câmara, em reunião com o Deputado Federal Marcelo Delaroli (PR/RJ), que é membro titular da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado - CSPCCO, foram apresentadas as necessidades da Guarda Portuária. O mesmo demonstrou ser sensível às demandas e se dispôs a ajudar logisticamente, sempre que necessário, a ANGPB e o SINDIGUAPOR-RJ, nas idas a Brasília. Também ofereceu o seu corpo jurídico para futuras consultas sobre projetos que afetem a categoria.
Da esq. para a dir.: Dejacy da Conceição (presidente SINDIGUAPOR-RJ), Lucas Bernardo (diretor da ANGPB), Marco Jamil (diretor da ANGPB), Marcelo Delaroli (Deputado Federal), João Felipe Rangel (vice-presidente SINDIGUAPOR-RJ), Mario Paiva (diretor ANGPB).

Pec 59/2007
No dia 23 de março, os diretores da ANGPB, em visita à Câmara dos Deputados, encontraram com o Deputado Federal Arnaldo Faria de Sá (PTB/SP).
Na oportunidade, o Deputado falou que o mais importante para a Guarda Portuária do Brasil seria dar continuidade à PEC 59/2007, incluindo a categoria no art. 144 da Constituição Federal.
Ainda de acordo com o Deputado, é preciso uma mobilização, estado por estado, pressionando os parlamentares, para que a matéria possa ser votada.


Fonte: ANGPB

* Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto, não cabendo a esse Portal a emissão de qualquer juízo de valor.
                                                                                                                                                                                          
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.
                                                                                                                                                            
COMENTÁRIOS

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES