Postagem em destaque

FISCALIZAÇÃO CONSTATA IRREGULARIDADES EM PORTO DO PARÁ

Essas fiscalizações ocorreram em virtude de denúncia de trabalhadores portuários que, sem representatividade de fato, buscaram por mei...

sábado, 8 de abril de 2017

0

NAVIO RO-RO, ATRACADO NA MARGEM ESQUERDA DO PORTO, TEM CASA DE MÁQUINAS ALAGADA




Ainda não se sabe como a água entrou no compartimento, mas não há mais risco de naufrágio

O Navio Gral San Martin, atracado no Terminal Exportador de Veículos (TEV), na Margem Esquerda (Guarujá) do Porto de Santos, está inoperante desde segunda-feira (03), quando a casa de máquinas da embarcação foi alagada. Ainda não se sabe como a água entrou no compartimento, mas não há mais risco de naufrágio. As autoridades marítima e ambiental acompanham o caso.
O cargueiro é do tipo ro-ro (as cargas são levadas ou trazidas dos porões sobre caminhões, através de rampas em seu casco), tem bandeira liberiana e foi construído em 2009. Segundo dados do armador NSC, ele possui 175,91 metros de comprimento, 31,15 metros de largura (boca) e tem um peso bruto estimado em mais de 40 mil toneladas. A bordo, trabalham 17 tripulantes. A atracação ocorreu às 00h50 de segunda-feira e a previsão inicial de saída era às 11 horas do mesmo dia.
A Capitania dos Portos de São Paulo (CPSP) informou que foi notificada do alagamento na manhã de segunda, quando a embarcação se preparava para deixar o cais. Peritos e um inspetor foram enviados até o local e constataram o alagamento parcial do compartimento inferior onde localizam-se os motores do navio.
Conforme apurou A Tribuna, a suspeita inicial era que uma rachadura no casco da embarcação tivesse ocasionado a entrada da água. Depois, também passou a ser considerado um possível erro de manobra nas válvulas do navio. Para descobrir o que ocorreu e identificar responsáveis, a Marinha do Brasil abriu um inquérito com prazo inicial de apuração de 90 dias.
A Autoridade Marítima não quantificou o volume de água na casa de máquinas, mas informou que o Gral San Martin está estável e seguro. Apesar disso, a embarcação permanece sem capacidade de operar, uma vez que o compartimento ainda está parcialmente submerso. A água não foi retirada do local pois está misturada com óleo combustível e há o risco de caírem no canal do estuário.
O procedimento de esvaziar a praça de máquinas vai ocorrer com o auxílio de barcaças, segundo a Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), a Autoridade Portuária de Santos. O serviço está a cargo da agência marítima Agunsa, responsável pelo navio durante escala em Santos. A empresa informou que todos os procedimentos estão sendo adotados corretamente e que não há tripulantes feridos.
A Docas informou que estão a bordo do Gral San Martin dois técnicos estrangeiros, um holandês e um alemão. Também é aguardada a chegada do superintendente de frota do armador. Ele vai auxiliar nos trabalhos de esvaziamento, reparação de eventuais danos e na retomada operacional do navio, que não tem prazo para deixar o cais.
Meio ambiente
Além da equipe de Meio Ambiente da Codesp, técnicos da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) verificaram que não há indícios de danos ambientais, por enquanto. Por precaução, barreiras de contenção foram colocadas no entorno do cargueiro e equipes especializadas permanecem de plantão monitorando o mar.
Em sua escala em Santos, no Terminal de Exportação de Veículos (TEV, localizado ao lado do Terminal de Contêineres, o Tecon, e operado pela Santos Brasil), o navio desembarcou 355 veículos, segundo dados da Autoridade Portuária. A bordo da embarcação ainda encontram-se 572 veículos, sendo 2 destinados ao Porto do Rio de Janeiro, onde era o destino para o qual ele se preparava para seguir na última segunda-feira, e os outros 570 para o Porto de Paranaguá, no Paraná.


* Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.
                                                                                                                                                                                          
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.
                                                                                                                                                            
COMENTÁRIOS

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES