Postagem em destaque

CODESP É ALVO DE SUPOSTA FRAUDE TRABALHISTA

Sob pretexto de 'serviço externo', guardas estariam trabalhando em outros locais, mas mantendo salário da Codesp Os ministér...

LEGISLAÇÕES

terça-feira, 2 de abril de 2019

0

TRIO É CONDENADO A SETE ANOS DE PRISÃO POR TENTAR ENVIAR 319 KG DE COCAÍNA À EUROPA



Investigação da Polícia Federal identificou um operador de empilhadeira e dois mecânicos como os responsáveis pela tentativa de enviar carga de cocaína à Europa pelo Porto de Santos
Um operador de empilhadeira e dois mecânicos foram condenados a sete anos e seis meses de prisão pela Justiça Federal em Santos, no litoral de São Paulo, por participarem de um esquema criminoso que visava enviar 319 kg de cocaína à Europa. Eles foram identificados após investigação da Polícia Federal, mas dois ainda permanecem foragidos.
A droga foi localizada por equipes da Receita Federal em maio de 2018 durante fiscalização rotineira em um terminal na margem direita do Porto de Santos, após alerta de imagens de escâneres. Os tabletes de cocaína estavam escondidos em meio a uma carga de açúcar, que tinha como destino o porto de Antuérpia, na Bélgica.

Na ocasião da apreensão ninguém foi preso, mas a investigação da Polícia Federal nos meses seguintes identificou que houve a abertura ilícita do contêiner, que transportava a carga declarada, em um Recinto Especial para Despacho Aduaneiro de Exportação (Redex), localizado na região da Alemoa. A empresa colaborou com as autoridades.
Os policiais identificaram o operador de empilhadeira José Ivo Silva de Lima e os mecânicos Bruno Soares de Carvalho e Rosemberg do Nascimento como os responsáveis pela ação criminosa. Eles tentaram driblar o sistema de segurança da firma bloqueando câmeras de monitoramento e até mesmo apagando as luzes do armazém de cargas.
Ainda segundo a Polícia Federal, a inserção da droga no contêiner de açúcar ocorreu ao menos quatro dias antes da apreensão no cais e durou cerca de seis horas sem que ninguém na empresa desconfiasse, já que a ação ocorreu à noite, quando o expediente é reduzido. O trio, inclusive, não estava escalado para trabalhar naquela ocasião.
Com base nas provas, a Justiça Federal determinou a prisão preventiva dos três envolvidos em agosto do mesmo ano, mas somente José Ivo foi localizado. O operador de empilhadeira foi preso durante uma operação da Polícia Militar em Cubatão (SP) em outubro seguinte e, desde então, permanece detido na penitenciária em São Vicente (SP).
Apesar dos outros dois comparsas permanecerem foragidos, o processo seguiu e o juiz substituto da 5ª Vara Federal de Santos, Mateus Castelo Branco Firmino da Silva, condenou os três este mês. O cálculo da pena levou em consideração a grande quantidade da droga, mas também a falta de provas deles integrarem uma organização criminosa.
Os advogados Alex Roberto da Silva e Andrea de Campos Gonçalves, que defendem José Ivo, afirmam que o cliente alega inocência desde o início do processo. Em nota conjunta, os defensores alegam que não há provas que relacionem diretamente o cliente ao crime e afirmam que vão apresentar recurso para tentar inocentar o operador no caso.
A advogada Luciene Santos Jaquim, que defende os mecânicos Bruno e de Rosemberg, afirmou que os clientes são trabalhadores, estão cientes da sentença, mas não pretendem se apresentar à Justiça Federal. Ela considerou alta a pena, levando em consideração que não houve flagrante, e informou que vai pedir habeas corpus de ambos.
Fonte: G1 Santos


Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.                                                                                             
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.    

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.