Postagem em destaque

CONHEÇA O CÓRTEX, SISTEMA DE VIGILÂNCIA DO GOVERNO QUE INTEGRA DE PLACA DE CARRO A DADOS DE EMPREGO

  O Córtex também possui acesso em poucos segundos a diversos bancos de dados com informações sigilosas Sem alarde, o Ministério da Justiç...

LEGISLAÇÕES

sexta-feira, 5 de novembro de 2021

0

GUARDAS PORTUÁRIOS DO PARÁ VOLTARAM A FECHAR PORTO DE VILA DO CONDE

 

Cesportos elevou o nível de proteção para 2

Os guardas portuários do Pará realizaram na semana passada, nova manifestação contra a Companhia Docas do Pará (CDP), fechando o Porto de Vila do Conde, em Barcarena, no Pará.

Segundo o presidente do Sindicato dos Guardas Portuários do Pará e Amapá (Sindiguapor), Rodrigo Rabelo, essa nova paralização ocorreu em virtude da CDP não se posicionar sobre a assinatura do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), acordado após a última greve, realizada nos dias 13 e 14 de outubro, onde o sindicato, que abrange 160 guardas portuários, concedeu um prazo de cinco dias úteis.

Segundo Rodrigo, a CDP enviou uma proposta de ACT, mas argumentou que precisava do aval de Brasília e, desde então não deu mais retorno.

Cesportos elevou nível de proteção

A Comissão Estadual de Segurança Pública nos Portos, Terminais e Vias Navegáveis do Estado do Pará (Cesportos_PA), elevou, no dia 25/10, data do início da greve, o nível de proteção do Porto de Vila do Conde, Miramar e Santarém. A medida autorizou o ingresso da Polícia Militar na área das instalações portuárias em caso de “distúrbio, invasão e grave perturbação da ordem na área portuária e interior do navio”.

Ordem Judicial

Na manhã do dia seguinte (26/10) os guardas portuários interditaram o Terminal Petroquímico de Miramar (Tequimar), em Belém.

Um oficial de Justiça do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região, acompanhado de policiais federais, chegou ao local por volta das 15h30, para cumprir uma ordem para desbloqueio do porto, assinada pela desembargadora Francisca Formigosa.

O sindicato dos guardas portuários foi ameaçado de multa diária de R$ 100 mil e de uso de força policial para desfazer o desbloqueio do acesso aos portos administrado pela empresa.

Diante desta ameaça, os guardas portuários decidiram pela suspensão provisória da greve, mas continuam mobilizados e podem deflagrar uma nova ação reivindicatória a qualquer momento.


A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.      

* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos. Caso não tenha conta no Google, entre como anônimo mas se identique no final do seu comentário.