Postagem em destaque

CDRJ É CONDENADA A PAGAR DANOS MORAIS POR NÃO RENOVAR O PORTE DE ARMAS DE UM GUARDA PORTUÁRIO

  O magistrado assinalou que, ao proceder assim, a CDRJ expôs a vida e a integridade física do trabalhador a risco A Companhia Docas do Ri...

LEGISLAÇÕES

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2022

0

GUARDAS PORTUÁRIOS SÃO HABILITADOS PARA CONDUZIR EMBARCAÇÕES NO PORTO DE PARANAGUÁ

 

Objetivo é que guardas portuários possam realizar fiscalizações com barcos próprios do Estado

Os guardas portuários que atuam nos portos de Paranaguá e Antonina, no Paraná, foram habilitados para Tripulação de Embarcações de Estado no Serviço Público (ETSP). Os certificados foram entregues pela Polícia Federal (PF) ao presidente da empresa pública Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia, que administra esses portos.

O certificado habilita a tripular ou conduzir pequenas embarcações (até 8m de comprimento), empregadas na navegação interior, a serviço de órgãos públicos.

Objetivo do treinamento e do certificado é garantir que guardas portuários possam realizar fiscalizações com barcos próprios do Estado, não havendo necessidade de contratação de terceiros, para as ações de deslocamentos, visitas, inspeções e outras.

Ao todo, 24 profissionais da Autoridade Portuária concluíram o curso de capacitação: Além de 19 integrantes da Guarda Portuária (GPort), também receberam o certificado 04 integrantes da Diretoria de Meio Ambiente e 01 da área de Comunicação Social.

A capacitação, além de suprir uma obrigação perante o Código Internacional para Segurança de Navios e Instalações Portuárias (ISPS Code) - que é a fiscalização na chamada área molhada - também promove o estreitamento de laços com outras instituições de segurança, já que o curso foi feito em conjunto com agentes do Núcleo Especial de Polícia Marítima (NEPOM) da PF e com integrantes da Polícia Militar do Paraná.

Para Garcia, a certificação é mais um avanço na segurança portuária. “A cada dia estamos evoluindo, tornando o porto mais seguro, com mais qualidade nos serviços e menor risco para clientes e usuários”, explicou.

“Cumprida mais essa etapa na busca pelo aprimoramento profissional da Guarda Portuária e de outros integrantes da Portos do Paraná, a ideia é poder fiscalizar com embarcações próprias do Estado, não havendo necessidade de contratação de terceiros para realizar deslocamentos, visitas, inspeções e programas sociais, que são uma grande frente de assistência da Portos do Paraná perante a comunidade insular”, disse o major César Kamakawa, chefe da GPort.

“No campo da segurança, da mesma forma. Nessas questões de fiscalização eventualmente acontecem contatos de riscos, onde terceiros não podem ser envolvidos. Esse é o objetivo de estar no local somente a equipe própria da GPort, realizando as abordagens, as autuações e notificações quanto cabíveis, sem oferecer risco a civis”, explicou.

Anthony Bertoldo da Silva, agente da Polícia Federal que conduziu todo o processo, ressalta que é a primeira vez que acontece essa integração entre Guardas Portuários e a Polícia Federal. “A partir desse momento, essa parceria tente a crescer, já que a Autoridade Portuária está voltando também suas fiscalizações para a parte marítima”, disse.

Conteúdo

O curso teve carga horária de 40 horas e abordou normas e regulamentos marítimos, navegação, sinalização, funcionamento de motores, primeiros socorros, meteorologia, legislação, segurança no mar e sobrevivência pessoal.

Além de habilitar para conduzir embarcações públicas, por equivalência também concedeu ao portador da habilitação a carteira de Arrais Amador e Motonáutica, ambas para conduzir embarcações nos limites da navegação interior.


A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.      

* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos. Caso não tenha conta no Google, entre como anônimo mas se identique no final do seu comentário.