Noticias e artigos em tudo que envolve a segurança nos portos do Brasil

Postagem em destaque

OPERAÇÃO CONJUNTA DA GUARDA PORTUÁRIA E POLÍCIA CIVIL PRENDE HOMEM APONTADO COMO INTEGRANTE DO COMANDO VERMELHO

  Ele tinha um mandado de prisão preventiva pelo crime de associação para o tráfico de drogas Na noite da sexta-feira (26/01), a Guarda Po...

LEGISLAÇÕES

quarta-feira, 11 de outubro de 2023

0

ABIN PROMOVE EVENTO SOBRE AÇÕES DE SEGURANÇA NO PORTO DE SANTOS

Superintendente Estadual da Abin em São Paulo fez a abertura do Encontro

Órgãos estatais e entidades privadas discutiram criminalidade organizada e gestão de infraestruturas estratégicas

A Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) promoveu, em 5 de outubro, na sede da Praticagem de São Paulo, no bairro da Ponta da Praia, em Santos, o 1º Encontro Nacional Inteligência e Ambiente Portuário. O evento debateu como ferramenta indispensável no combate ao tráfico internacional de drogas e ao contrabando de mercadorias, além de solução de infraestrutura no Porto de Santos.

Órgãos federais, estaduais e municipais ligados ao setor e atores privados participaram. Ao todo, cerca de 120 profissionais integraram as atividades. Especialistas de diversos setores fizeram apresentações. Foram expostos temas como praticagem, Inteligência no setor aduaneiro, segurança portuária, fiscalização, operações de repressão e lavagem de dinheiro.

Mesa temática sobre Infraestrutura Crítica

Os palestrantes também se reuniram para compor as mesas temáticas “Infraestrutura Crítica” e “Inteligência e Ilícitos Transnacionais”. O encontro ainda contou com visita ao Centro Operacional da Praticagem.

Mesa temática sobre Inteligência e Ilícitos Transnacionais

Segundo o superintendente estadual da ABIN em São Paulo, José Paulo Melhado, o objetivo do encontro foi reunir quem atua no setor portuário para um debate.

“Reunir tantos atores relevantes na discussão de aspectos da criminalidade organizada e da gestão de infraestruturas estratégicas fora da capital foi mais um passo importante para a consolidação da comunidade local de Inteligência no estado. A relevância é congregar algumas pessoas importantes do Porto de Santos, da Baixada Santista e de São Paulo para discutir sobre criminalidade e infraestrutura crítica. São dois pontos de atenção da inteligência do Estado voltados para a região”, afirmou Melhado.

A ideia, de acordo o superintendente, é promover ao menos um encontro por ano para agregar empresários do setor portuário e autoridades locais. “Nós temos, em São Paulo, um subgrupo do Sistema Brasileiro de Inteligência (Sisbin) e a gente pretende estender esse grupo para Santos e região”.

Quanto à infraestrutura ele afirmou que a agência também analisa as políticas públicas voltadas desenvolvimento econômico na relação Porto-Cidade.

Temas Debatidos

Foram expostos temas como praticagem, Inteligência no setor aduaneiro, segurança portuária, fiscalização, operações de repressão e lavagem de dinheiro.

  • Especialistas de diversos setores fizeram apresentações.
  • Aplicação da Inteligência no setor aduaneiro
  • Integração dos órgãos de segurança locais na manutenção da segurança portuária e a necessidade de mudanças na legislação do setor
  • Evolução das operações de repressão ao tráfico internacional no contexto da Baixada Santista
  • Tecnologia de controle de área e ferramentas de imagem e radares implementadas
  • Lavagem de dinheiro
  • Capacidade local de repressão ao crime organizado com viés de tráfico internacional
  • Deficiências dos órgãos de segurança na repressão aos crimes cibernéticos

Palestrantes

O delegado-chefe da Alfândega da Receita Federal do Brasil (RFB) do Porto de Santos, Richard Neubarth, ressaltou que a aproximação entre a Receita e as empresas portuárias é importante para coibir atividades ilícitas no maior complexo portuário do País e um dos mais importantes do mundo.

“É importante a gente ter contato com quem chamamos de intervenientes do comércio exterior. São as pessoas responsáveis pelo transporte, armazenagem e movimentação da carga, a Praticagem, as agências marítimas e os recintos alfandegados, que estão operando cargas e veículos 24 horas por dia. Em qualquer ilícito que esteja acontecendo, que muitas vezes estará fora do radar, de sistemas e do controle da Receita Federal, eles terão as informações para repassar e isso possibilitará uma atuação mais eficaz na repressão aos ilícitos no comércio exterior”.

Neubarth disse que, nos últimos cinco anos, a Receita Federal apreendeu R$ 1 bilhão em mercadorias irregulares e mais de 100 toneladas de cocaína. Para combater a criminalidade, conta desde o final do ano passado com um novo sistema de inteligência.

“A Receita Federal tem investido em sistemas. Um módulo importante é o API-Recintos, uma inovação em relação à informação de cargas, veículos e pessoas, nas áreas controladas pela Receita Federal não somente no Porto de Santos, mas em todo o Brasil. Esse sistema se encontra no ar desde dezembro de 2022 e está sendo aperfeiçoado”.

Ex-chefe da Polícia Federal em Santos e ex-coordenadora da Comissão Estadual de Segurança Pública nos Portos, Terminais e Vias Navegáveis (Cesportos), a delegada aposentada Luciana Fuschini ministrou palestra sobre a integração dos órgãos de Segurança no Porto de Santos.

Luciana Fuschini ministrou palestra sobre a integração dos Órgãos de Segurança no Porto de Santos

Segundo a delegada, a integração entre os órgãos de segurança via Cesportos resultou “na baixa quantidade de incidentes de proteção no Porto, controle de greves de caminhoneiros e de invasões. Dessa forma, a gente consegue monitorar os riscos e evitar que incidentes de proteção aconteçam no Porto”.

O supervisor de segurança portuária (SSP – PFSO da sigla em inglês) da Brasil Terminal Portuário (BTP), Fábio Carvalho, discorreu sobre Procedimentos de Inteligência no Combate ao Crime Organizado no Porto de Santos, explicou que o BTP está instalado em uma área de 440 mil metros quadrados na Margem Direita do Porto de Santos e movimenta 1,1 milhão de contêineres por ano.

Por meio da “análise de risco e redução da vulnerabilidade visando a segurança patrimonial, a instalação portuária investiu em um sistema de monitoramento que agrega quase 500 câmeras”.

Segundo Carvalho, a BTP foi pioneira na aquisição de câmeras térmicas e sistemas de radares. “A gente utiliza câmeras térmicas em volta do perímetro do terminal porque a iluminação é muito baixa, nas regiões fronteiriças. Para isso, a gente contou a Receita Federal e com a Polícia Federal, porque tivemos que importar essas câmeras térmicas porque elas são controladas pelo Exército. Nós tivemos que justificar para o Exército que essas câmeras serão utilizadas para segurança aduaneira, para implementação de melhoria no monitoramento”.

O gerente da BTP destacou ainda que a companhia possui uma equipe de inteligência cujos analistas fazem o mapeamento de ocorrências e análise de risco. Na ocasião, ele apresentou o histórico no período de 10 anos.

“Na análise de todas as ocorrências, 84% tiveram como destino a Europa, 10% a África e 5% a Ásia. Quanto aos países no ranking de ocorrências, em primeiro lugar vem a Bélgica, seguida da Espanha, Holanda, Itália, Marrocos, França, Portugal e Alemanha. Esse resultado de GeoCombate da BTP totaliza 60 mil kg. Esse é o nosso esforço de guerra.

Em 2022, foram apreendidos no terminal 16 mil kg de drogas, sendo que 9.223 kg foram fruto de um trabalho conjunto com os órgãos de segurança”.

Também palestraram o gerente regional da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) em São Paulo, Guilherme da Costa Silva; o delegado da Polícia Federal e chefe da Divisão de Controle da Migração e Segurança Aeroportuária, Caio Bortone Ramos Ribeiro; o escrivão da Polícia Federal lotado no Núcleo de Inteligência de Santos, Gustavo Bongiovanni; e o delegado da Polícia Civil em São Paulo e presidente da Comissão Anticorrupção, Lavagem de Dinheiro e Compliance, Robinson Fernandes

Órgãos e entidades participantes

Ao todo, cerca de 120 profissionais integraram as atividades. Participaram do evento representantes de órgãos federais, estaduais e municipais ligados ao setor e atores privados, tais como: Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), Alfândega da Receita Federal do Brasil (RFB); do Porto de Santos, Polícia Federal (PF), Polícia Civil de São Paulo (PCESP), além da Praticagem e da instalação portuária Brasil Terminal Portuário (BTP).


A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.      

* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e adicionado o link do artigo. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos. Caso não tenha conta no Google, entre como anônimo mas se identique no final do seu comentário e insira o seu e-mail.