Postagem em destaque

CONPORTOS PRORROGA VALIDADE DAS DECLARAÇÕES DE CUMPRIMENTO

A prorrogação da validade não se aplica às Declarações de Cumprimento que sofreram suspensão ou cassação pelo Colegiado da CONPORTOS o...

terça-feira, 15 de outubro de 2013

0

EMAP INVESTE EM AMPLIAÇÃO DO SISTEMA DE SEGURANÇA PORTUÁRIA






Investimentos em sistema de segurança, moderno e eficiente e qualificação profissional garantem operações seguras e transparentes no Itaqui. Para cada atividade portuária um registro. É assim a rotina em um dos principais indutores do desenvolvimento econômico do estado: o Porto do Itaqui.

Os investimentos da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), em monitoramento, controle de acesso e qualificação profissional na área de segurança patrimonial são contínuos. O que se reflete em atividades portuárias transparentes e credibilidade no mercado.

Atualmente, a área do Porto do Itaqui é monitorada 24 horas por dia por profissionais da Gerência de Segurança Patrimonial da Emap. Cerca de 50 câmeras registram movimentos em setores estratégicos e atividades importantes como o carregamento e descarregamento de navios, pátios de cargas, canteiro de obras, acesso das pessoas em todos os prédios, avenidas que dão acesso a estrutura portuária do Itaqui, entre outros. Além do registro, os equipamentos proporcionam aproximação em tempo real e em todos os ângulos. “Buscamos utilizar tecnologia de ponta, equipamentos modernos e aumentar o número de profissionais para cobrir toda a poligonal do porto”, explicou Carlos Roberto de Souza Lima, gerente de Segurança Portuária da Emap.

Na próxima semana o número de câmeras vai aumentar de 50 para 150. O objetivo é registrar com maior riqueza de detalhes as rotinas portuárias. Todas as imagens são direcionadas para monitores, vigiados também 24 horas por dia. Ao detectar qualquer atividade suspeita, imediatamente, via sistema de rádio, um vigilante é deslocado para o local para averiguar os fatos.

Postos de fiscalização da Guarda Portuária também foram ampliados, a exemplo do que aconteceu no Pátio de Retenção de Carretas (PRC). O local abriga os condutores de veículos que transportam combustível para outros estados do Brasil. Vale lembrar que o porto maranhense é o segundo maior em movimentação do país em granéis líquidos e funciona como entreposto para o Norte e Nordeste.

Diariamente cerca de 90 motoristas com seus veículos circulam pelo PRC da Emap. Com um movimento considerável, a Guarda Portuária instalou mais uma unidade de fiscalização no PRC. Aumentando para três o número de postos e, para seis, o número de profissionais que atuam no pátio. “Qualquer atividade suspeita, o vigilante averigua. “Todos os esforços da equipe estão concentrados em eliminar a possibilidade de ocorrer desvios de combustíveis no PRC, do pequeno aos grandes volumes”, esclareceu o gerente.

Aumento na movimentação

Nos primeiros nove meses deste ano a Emap registrou cerca de 600 navios atracados, 11 milhões de toneladas de cargas movimentadas. Números que refletem a expansão do Itaqui dentro de um contínuo processo de crescimento que tem como meta torná-lo de classe mundial.

A estratégia de negócio da Emap, gestora do porto do Itaqui, passa pelo investimento em segurança que garante a integridade física de todos os envolvidos, segurança ambiental e patrimonial e à transparência nas atividades portuárias. “As mudanças na organização, dentro de uma gestão comprometida, aumentam os níveis de competitividade e produtividade. A segurança pessoal e patrimonial faz parte do desenvolvimento contínuo da empresa”, enfatizou Luiz Carlos Fossati, presidente da EMAP.

Sobre o Porto do Itaqui

O porto maranhense é um dos principais indutores do crescimento econômico do Estado. Para os próximos anos, com a construção do berço 108, está previsto um incremento de 40% na movimentação dos derivados de petróleo.

Em 2012 o Porto do Itaqui atingiu a marca inédita de 15,7 milhões de toneladas movimentadas, um crescimento de 13% em relação a 2011. O bom resultado deveu-se, principalmente, ao incremento nas importações de derivados de petróleo (7%) e de fertilizantes (33%) somados às exportações de soja (10%) e milho (1.330%).

O Complexo Portuário de São Luís – que inclui além do porto público os portos privativos de Ponta da Madeira (Vale) e da Alumar – encerrou o ano com o recorde de 133,8 milhões de toneladas.
 

Fonte: Jornal Pequeno – Revista Caras e Nomes
 
 
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES