Postagem em destaque

TRAFICANTES ATIRAM CONTRA GUARDAS AO TENTAREM DESPACHAR 400 KG DE COCAÍNA NO PORTO DE SANTOS

Ao fugir, caminhoneiro destruiu cancela de segurança, bateu em árvore, mas foi detido em flagrante com parte da droga Aproximadamen...

LEGISLAÇÕES

quarta-feira, 13 de maio de 2015

0

GUARDA PORTUÁRIA EM GREVE NO ESPÍRITO SANTO


O Sindicato da Guarda Portuária do Estado do Espírito Santo (Sindguapor) iniciou ontem (12) uma greve por tempo indeterminado.
O movimento teve início às 7hs, com o fechamento dos portões e a consequente suspensão das operações no Cais Comercial de Vitória e de Capuaba.

A greve foi decidida em assembleia realizada no dia 04/05, às 16h30, onde os guardas portuários decidiram, por unanimidade, pela paralisação de suas atividades, por tempo indeterminado.
Reivindicações

Os guardas portuários reivindicam o cumprimento da cláusula do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) que trata da Participação nos Lucros e Resultados (PLR), uma solução para as precárias e desumanas condições de trabalho e a implantação efetiva do vale cultura, que apesar de fazer parte do ACT desde 2014, não foi cumprida até hoje.


Segundo o presidente do Sindguapor, José Maria Loureiro de Castro, o sindicato esgotou todas as possibilidades de diálogo. “Procuramos insistentemente os gestores da companhia ao longo de todo este tempo, a fim de que houvesse solução negociada e eficaz, mas sem sucesso, só nos restou o direito de greve para sensibilizar a empresa a cumprir com seus compromissos”. 

A assessoria de imprensa da Codesa declarou que lamenta o movimento grevista e informou que a participação nos lucros já está no orçamento, mas que a liberação do dinheiro depende do Governo Federal, assim como a reivindicação do vale-cultura. O edital já foi publicado e a licitação deve acontecer até o mês que vem.
Sobre as condições de trabalho, a Codesa garantiu que está sempre aberta ao diálogo, mas que não foi procurada por nenhum representante da categoria para discutir o tema.

Segundo a Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), três navios estavam parados na terça-feira (12). Ainda de acordo com a empresa, não há ainda como estimar o que deixou de ser arrecadado no primeiro dia de paralisação.

A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto, não cabendo a esse Portal a emissão de qualquer juízo de valor.
                                                                                
* Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.

* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário