Postagem em destaque

CONPORTOS CASSA CERTIFICADO DE SEGURANÇA DOS TERMINAIS DA RODRIMAR NO PORTO DE SANTOS

Comissão Estadual de Segurança Pública nos Portos encontra falhas nos sistemas de segurança desde 2016 e a empresa não apontou soluçõe...

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

0

ESTIVADORES PARALISAM OPERAÇÕES EM TRÊS TERMINAIS PORTUÁRIOS NO PORTO DE SANTOS




Categoria reivindica reajuste salarial e manutenção da convocação de trabalhadores pelo Ogmo

Os estivadores deram início na manhã desta segunda-feira (19) a uma paralisação no Porto de Santos. A pauta do movimento, que afeta as operações de três terminais portuários (Santos Brasil, Libra e BTP), traz uma série de reivindicações, entre elas o reajuste anual do salário, que não foi acordado até o momento.
Segundo o presidente da categoria, Rodney Oliveira da Silva, as operadoras portuárias querem 100% de mão de obra vinculada, ou seja, com contratação direta pela empresa e carteira de trabalho assinada. A medida eliminaria a contratação dos avulsos pelo Ogmo, onde há atualmente 4 mil trabalhadores cadastrados. O sindicato exige ao menos 50% de avulsos no geral e trabalho em todos os navios. “Há um radicalismo por parte dos terminais. Eles querem o extermínio da categoria”, reclama.
Os estivadores também reclamam que os terminais não querem pagar o adicional de risco, enquanto o sindicato defende 40%. Os trabalhadores querem, ainda, estabilidade no emprego de cinco anos.

Negociações
A data-base da categoria foi em março. O sindicato reivindica reajuste salarial dos vinculados e correção dos ganhos dos avulsos em 11,78%, retroativo a março, e as empresas ofereceram 9%, pagos em duas vezes.
As partes discordam também em relação ao vale-refeição. O sindicato quer R$ 30 por período trabalhado, mas os terminais oferecem reajuste de 9%. Pela proposta patronal, o valor sairia de R$ 22,00 para R$ 23,98.
Justiça
O caso já está no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que deu prazo até a última sexta-feira (16) para as partes se pronunciarem. Em audiência de conciliação, a desembargadora Ivani Contini Bramante propôs 75% de mão de obra vinculada nos terminais, reajuste salarial de 10% e vale-refeição de R$ 30,00.
O julgamento deverá ocorrer nas próximas semanas. Procurado pela Reportagem, o Sindicato dos Operadores Portuários o dEstado São Paulo (Sopesp) disse que “por enquanto não vai se pronunciar a respeito”.


* Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto, não cabendo a esse Portal a emissão de qualquer juízo de valor.
                                                                                                                                                                                          
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.
                                                                                                                                                
COMENTÁRIOS

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES