Postagem em destaque

CONHEÇA O CÓRTEX, SISTEMA DE VIGILÂNCIA DO GOVERNO QUE INTEGRA DE PLACA DE CARRO A DADOS DE EMPREGO

  O Córtex também possui acesso em poucos segundos a diversos bancos de dados com informações sigilosas Sem alarde, o Ministério da Justiç...

LEGISLAÇÕES

quinta-feira, 18 de novembro de 2021

0

AÇÃO CONJUNTA APREENDE DE 441 KG DE COCAÍNA NO PORTO DE VILA DO CONDE NO PARÁ

 

A ação envolveu a participação da Receita Federal, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal

Na tarde do último domingo (14), uma ação conjunta entre Receita Federal do Brasil (RFB), Polícia Federal (PF) e Polícia Rodoviária Federal (PRF), culminou na apreensão de 441 kg de cloridrato de cocaína no Porto de Vila do Conde, em Barcarena, no Pará.

A droga estava escondida dentro de um contêiner com caixas de garrafa de cerveja da empresa Cerpa e tinha como destino a cidade de Porto, em Portugal.

Na fiscalização do contêiner, os agentes verificaram que o lacre estava violado. Esse lacre é colocado na fábrica, no momento do embarque para a exportação, quando também é emitido o documento para esse tipo de transporte.

Uma das suspeitas dos órgãos de segurança é de que tenha ocorrido a prática de "rip-on", que é quando o lacre original é retirado, algo é inserido indevidamente e então um novo lacre é feito de maneira irregular.

Investigação

A apreensão teve início a partir de uma fiscalização realizada pela PRF em conjunto com outros órgãos, como ANTT, Polícia Federal, Receita Federal, Guarda Portuária e Polícia Militar, no Porto de Santos, em São Paulo, durante a greve dos caminhoneiros naquele porto.

Documentos suspeitos foram compartilhados com a PF e a RFB, que passaram a monitorar a quadrilha, levando à apreensão da droga no município paraense.

Um dos fatos que chamou a atenção é a empresa de Belém, que exportou a carga, fez uma compra maior de cervejas da Cerpa, do tipo Export, qual costumava fazer movimentar. Outro fato é o envolvimento de duas empresas pequenas e sem histórico na exportação da cerveja.

Segundo as autoridades essas duas empresas, a princípio, não possuem ligação direta com a Cerpasa. O comprador, em Portugal, também não tem históricos de grandes movimentações.

Nota da Cerpa

Em nota, a Cerpa informou que colabora com investigações do caso. "A Cerpa – Cervejaria Paraense S/A, já declarou às autoridades competentes colaboração irrestrita com as investigações que buscam desmantelar uma associação criminosa para tráfico internacional de drogas que atua no Estado do Pará. [...] A criatividade dos criminosos que se dedicam ao tráfico internacional parece mesmo não ter limites. Por meio de seu advogado, Dr. Roberto Lauria, a Cerpa colocou-se à disposição das autoridades policiais para o fornecimento das imagens de seus carregamentos, das notas fiscais da venda e de qualquer outro documento que possa ajudar nas investigações", diz o comunicado da empresa.

Diversificação

Nas apreensões anteriores, os órgãos federais de segurança apreenderam drogas em cargas de madeira e manganês e agora os criminosos visaram outro tipo de carga para despistar a fiscalização.

Essa foi a terceira apreensão de drogas em menos de 30 dias no Porto de Vila do Conde. No total, já são quase duas toneladas apreendidas nos últimos meses.

A droga foi encaminhada para a sede da Polícia Federal que seguirá com as investigações.


A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.      

* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos. Caso não tenha conta no Google, entre como anônimo mas se identique no final do seu comentário.