Postagem em destaque

CDRJ É CONDENADA A PAGAR DANOS MORAIS POR NÃO RENOVAR O PORTE DE ARMAS DE UM GUARDA PORTUÁRIO

  O magistrado assinalou que, ao proceder assim, a CDRJ expôs a vida e a integridade física do trabalhador a risco A Companhia Docas do Ri...

LEGISLAÇÕES

segunda-feira, 25 de abril de 2022

0

POLÍCIA JUDICIÁRIA DE CABO VERDE APREENDE BARCO BRASILEIRO COM QUASE SEIS TONELADAS DE COCAÍNA

Autoridades cabo-verdianas tiveram o apoio da Agência contra a Droga dos Estados Unidos, da Polícia Federal do Brasil e da Agência Nacional do Crime, do Reino Unido

A Polícia Judiciária (PJ) de Cabo Verde deteve no dia 1 de abril sete cidadãos estrangeiros e apreendeu mais de 5.600 kg de cocaína a bordo de um barco de pesca procedente do Brasil, e prendeu cinco brasileiros e dois montenegrinos, numa operação conjunta com a Guarda Costeira, coordenada através do Centro de Análise e Operações Marítimas – Narcóticos (MAOC-N).

A ação teve o apoio da Agência dos Estados Unidos contra a Droga (DEA, nas siglas em inglês), da Polícia Federal (PF), do Brasil e da Agência do Crime Nacional, do Reino Unido.

A informação foi divulgada pelo diretor da central da PJ, Ricardo Gonçalves, num comunicado a imprensa na cidade da Praia.

“Sob a jurisdição de Cabo Verde, as autoridades policiais dos EUA e de Cabo Verde embarcaram e inspecionaram a embarcação, tendo apreendido 5.668 kg de cocaína, afirmou Gonçalves, que revelou ainda a detenção de cinco indivíduos de nacionalidade brasileira e dois montenegrinos.

O diretor central da polícia de investigação destacou que “a descontinuidade territorial do arquipélago, a nossa vasta zona económica exclusiva e os escassos meios materiais e humanos existentes para a fiscalização ativa, favorecem a utilização do arquipélago de Cabo Verde como país de trânsito do narcotráfico internacional”.

Entretanto, Ricardo Gonçalves sublinhou que, para ajudar no combate ao tráfico de droga a “Marinha e a Guarda Costeira dos EUA têm tido uma excelente relação com Cabo Verde, com acordos bilaterais de aplicação da lei, permitindo o apoio ao combate à atividade marítima ilícita nas águas circundantes do arquipélago”.

Esta operação, concluiu o diretor central da PJ, “insere-se no âmbito do esforço que as autoridades de Cabo Verde têm vindo a desenvolver, de forma consistente, ao longo dos últimos anos, no sentido de reforçar o combate ao tráfico de droga, particularmente no quadro mais amplo da cooperação internacional”.

Procuradoria-Geral da República (PGR)

Em comunicado a Procuradoria-Geral da República (PGR) de Cabo Verde refere que os sete tripulantes da embarcação de pesca “Alcatraz I”, de pavilhão brasileiro, todos do sexo masculino, sendo cinco de nacionalidade brasileira e dois de nacionalidade montenegrina, com idade compreendida entre 32 e 66 anos, foram indiciados pela prática do crime de tráfico internacional de estupefacientes.

“Na posse do mandado de busca e apreensão emitido, a pedido do Ministério Público, pela autoridade nacional competente, foram localizados e apreendidos, no interior da mencionada embarcação, 5.461,2 kg de cocaína distribuídos em 214 fardos”, refere o mesmo comunicado.

MP esclarece libertação e nova detenção de indivíduos

O Ministério Público (MP) esclareceu em comunicado que ordenou, anteriormente, a libertação imediata dos detidos, uma vez que a primeira detenção em flagrante delito foi ordenada a bordo de um navio em alto mar, localizado a 503 milhas náuticas nordeste, não tendo sido possível apresentar os mesmos ao juiz antes do término do prazo legal.

Isto porque, demorou-se cinco dias de navegação até chegar ao Porto da Praia, o mais próximo do local de abordagem, para desembarque em condições de segurança.

“Todavia, face aos fortes indícios constantes dos autos, da prática dos crimes de tráfico de droga de alto risco e de associação criminosa para o tráfico imputado aos arguidos, o MP ordenou a detenção dos mesmos, fora de flagrante delito, para efeito do primeiro interrogatório judicial, tendo-lhes sido aplicada a medida de coação prisão preventiva”.

Prisão Preventiva

O Tribunal da Praia decretou prisão preventiva para os sete indivíduos.

A defesa, composta pelos advogados Diamantino Martins, Félix Cardoso e Nelson Furtado, já fez saber que não concorda com o despacho do segundo juízo criminal do Tribunal da Comarca da Praia, pelo que irá recorrer junto do Tribunal de Relação de Sotavento.

Segunda maior apreensão

Trata-se de uma das maiores apreensões de droga já feitas pelos serviços policiais deste arquipélago lusófono do Atlântico, situado ao largo da costa africana.

Em janeiro de 2019, 9.570 kg de cocaína já haviam sido descobertos no Porto de Praia a bordo o cargueiro de nome ESER, de bandeira panamenha, tripulado por 12 cidadãos russos, que vinha da América do Sul, e tinha como destino a cidade de Tânger, no norte de Marrocos.

Rota de Tráfico

A costa da África Ocidental é conhecida por ser uma importante rota de trânsito de cocaína procedente da América Latina para a Europa. Cabo Verde é vulnerável, devido à sua geografia e à extensão de suas águas, vigiadas com recursos limitados.


A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.      

* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos. Caso não tenha conta no Google, entre como anônimo mas se identique no final do seu comentário.