Noticias e artigos em tudo que envolve a segurança nos portos do Brasil

Postagem em destaque

AUTORIDADE PORTUÁRIA DE SANTOS PUBLICA EDITAL DE CONCURSO PARA A GUARDA PORTUÁRIA

As inscrições serão aceitas durante os dias 1º de abril a 06 de maio. A data prevista para a prova é 23 de junho A Autoridade Portuária de...

LEGISLAÇÕES

terça-feira, 13 de junho de 2023

0

ADVOGADO É ACUSADO DE SEQUESTRO A MANDO DE ‘PABLO ESCOBAR’ BRASILEIRO

 

Foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão em endereços relacionados a cinco pessoas, apontadas como comparsas de Anderson Lacerda Pereira, o Gordão

A Polícia Civil de São Paulo deflagrou em 9 de maio, a operação Pablo Escobar II, segunda fase da operação que prendeu Anderson Lacerda Pereira, o Gordão, narcotraficante ligado ao Primeiro Comando da Capital (PCC). Em uma semana, foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão.

O principal alvo foi o advogado Marco Antônio Pereira de Sousa Bento, o Paçoca, investigado por comandar, no começo do ano passado, um sequestro com tortura a mando de Gordão. Procurado, o advogado disse que não tem relação com o crime organizado.

Foto: Divulgação Polícia Civil de São Paulo

“O advogado, a mando do Anderson, orquestrou e executou sequestro de um ex-funcionário das clínicas do Gordão”, afirmou ao Estadão o delegado Luiz Romani, titular do Cerco da 7.a Delegacia Seccional, na zona leste da capital. “Pegaram ele em Arujá e levaram para Santa Isabel. Em uma chácara de Bento, que inclusive foi alvo de busca, agridem a vítima, filmam e falam para ela confessar. E mandam (os vídeos) para o Anderson.”

O ex-funcionário sequestrado, segundo a Polícia Civil, foi apontado por Gordão como o responsável por desviar dinheiro de uma das 38 clínicas médicas e odontológicas que o narcotraficante é acusado de ter montado para lavar dinheiro do tráfico. Os valores movimentados podem chegar a milhões de reais.

Casos Anteriores

O sequestro com tortura, feito como forma de represália, teria tido envolvimento de ao menos seis pessoas. Uma delas ainda não foi identificada pela polícia. As outras cinco, apontadas como comparsas de Gordão, foram alvo dos mandados de busca e apreensão da última semana: além de Sousa Bento, uma mulher e outros três homens.

“Dois deles foram clientes do próprio Paçoca, que já os defendeu inclusive em crimes de sequestro”, disse o delegado Luiz Romani. “Ele chamou os ‘caras’ para executar o sequestro a mando do Gordão, o ‘Pablo Escobar brasileiro’.” A polícia afirma que os investigados têm ligações e negócios com o PCC, mas o grau de envolvimento de cada um é apurado.

As investigações indicam que alguns ostentavam vida de luxo nas redes sociais. No caso de Bento, há fotos de viagens para destinos como Ilhas Maldivas e Dubai. Em uma das postagens mais recentes, pode-se ver um desses destinos pela janela do avião enquanto o advogado empunha uma nota de R$ 200 com a frase: “Que o dinheiro nunca compre sua postura”.

A segunda fase da Operação Pablo Escobar resultou na apreensão de 12 aparelhos celulares, um Jaguar F-Type, um Mini Cooper, um Citroen C3, duas motos e um quadriciclo, além de um simulacro de arma de fogo. Os mandados foram cumpridos nas regiões de Itaquera, na zona leste paulistana, Arujá e Santa Isabel, na Grande São Paulo.

Foto: Divulgação Polícia Civil de São Paulo

Gordão

Um dos traficantes mais procurados do Brasil conforme a Polícia Civil, Anderson Lacerda Pereira, o Gordo ou Gordão, foi preso em setembro em Poá, Grande São Paulo.

Segundo os investigadores, ele era caçado desde 2017 e seu nome estava na lista de procurados da Interpol desde 2020.

Pereira era investigado por tráfico, associação ao tráfico e lavagem de dinheiro. Ele ficou milionário e se inspirava em traficantes internacionais, como o colombiano Pablo Escobar. Gordão se tornou especialmente reconhecido entre os criminosos em 2014, ao intermediar uma venda de cocaína entre o PCC e a máfia italiana.

Em 2021, o Estadão mostrou a trajetória do traficante, que chegou a criar jacarés em uma propriedade. Apontado como um dos líderes do Narcosul, cartel da droga do PCC e de seus associados, Gordão é acusado de montar um esquema que combinava o tráfico com a lavagem de dinheiro.

“Gordão não era integrante do PCC, mas parceiro. Ele começou fazendo transporte interno. A droga chegava, pegava e fazia o transporte. Depois, passou a exportar também, principalmente para a Europa, onde dá dinheiro”, diz Romani.

Gordão, segundo ele, desempenhou papel importante na expansão internacional do PCC, principalmente por meio do envio da droga à Europa pelo Porto de Santos. O narcotraficante está preso em Presidente Venceslau, no interior paulista. A Polícia Civil de São Paulo prevê indiciar Marco Antonio Pereira de Sousa Bento, de 32 anos, e os demais alvos da operação por sequestro qualificado com tortura e associação criminosa para o tráfico.

Procurado, o advogado disse que não possui relação com o crime organizado. “Demonstrarei no percurso da instrução criminal”, afirmou.

Fonte: Jornal O Estado de São Paulo


Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.      

* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos. Caso não tenha conta no Google, entre como anônimo mas se identique no final do seu comentário e insira o seu e-mail.