Noticias e artigos em tudo que envolve a segurança nos portos do Brasil

Postagem em destaque

BRASIL: EXPORTAÇÕES DE COCAÍNA DO PORTO DE SANTOS REGISTRAM RECORDE HISTÓRICO

  O Porto de Santos movimentou em contêineres, em 2022, a marca recorde de 5 milhões de TEU – unidade equivalente a um contêiner de 20 pés –...

LEGISLAÇÕES

quinta-feira, 27 de julho de 2023

0

PF E RECEITA APERTAM CERCO A TRAFICANTES QUE ESCONDEM DROGAS EM CASCOS DE NAVIOS

 

Só em 2023, a PF e a RFb apreenderam mais de 1,4 mil kg de cocaína presos na parte do submersa dos navios - mais que o dobro de 2022

A Polícia Federal (PF) e a Receita Federal do Brasil (RFB) estão combatendo uma nova modalidade de tráfico de drogas nos portos brasileiros.

Os próprios traficantes gravaram o vídeo para provar que fizeram o serviço. Nas imagens (divulgadas no programa), mergulhadores prendem sacos de cocaína no casco de um navio próximo do Porto de Santos. A droga foi apreendida dias depois, em Gibraltar, um território britânico.

A polícia brasileira prendeu os sete traficantes em janeiro. Junto com eles, também foram apreendidos equipamentos de mergulho e quase 600 kg de cocaína. Em junho, a quadrilha foi condenada por tráfico internacional de drogas.

"Eles aumentaram a velocidade ao perceber a presença dos policiais. Eles perceberam também que a embarcação estava pesada, então merecia uma vistoria nossa. Eles embarcaram e conseguiram abordar a embarcação. Nesse momento, inclusive, dois se jogaram no mar, tentando escapar”, conta o major da Polícia Ambiental Marco Aurélio da Silva.

Essa semana, a Polícia Federal (com o apoio da Guada Portuária) apreendeu mais de 300 kg de cocaína em outro navio. A droga estava no forro de uma sala de ginástica. A embarcação tinha como destino a Alemanha.

Prender a cocaína nos cascos dos navios ou até mesmo arremessar a droga para dentro das embarcações são táticas usadas por criminosos para driblar a fiscalização. Essas práticas foram adotadas após a modernização da Receita Federal e da Polícia Federal, que investiram em tecnologia, capaz de localizar o entorpecente dentro dos contêineres.

“Essa modalidade, que é relativamente recente, da implantação no casco, ela acaba facilitando um pouco a questão logística do tráfico internacional. Não precisaria, eventualmente, de cooptar mais pessoas para, eventualmente, inserir em contêiner, que é um trabalho mais complexo, é mais fiscalizado. Em um casco, ali, ele precisaria só do mergulhador para inserir aqui e retirar lá fora”, explica o delegado da Polícia Federal Daniel Coraça Júnior. Só em 2023, a PF e a RFB apreenderam mais de 1,4 mil kg de cocaína presos na parte do submersa dos navios - mais que o dobro de 2022.

"Se ela está tendo apreensões e perdendo essa carga, ela vai buscar outras rotas, outras formas de enviar a carga. E o trabalho da fiscalização é garantir a segurança das operações de comércio exterior, para que no porto, como o Porto de Santos, o maior aqui do nosso país, ele seja utilizado para operações legítimas, e não para operações ilegais, como o tráfico de drogas e outras operações ilícitas”, afirma Richard Neubaeth, delegado da Receita Federal.

Fonte: globo.com - Por Jornal Nacional


Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.      

* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos. Caso não tenha conta no Google, entre como anônimo mas se identique no final do seu comentário.