Postagem em destaque

SINDICATO DENUNCIA DISCRIMINAÇÃO NA AUTORIDADE PORTUÁRIA DE SANTOS

  Horas extraordinárias estariam sendo direcionadas e selecionadas a guardas portuários de menor salário O Sindicato dos Trabalhadores Adm...

LEGISLAÇÕES

quinta-feira, 13 de janeiro de 2022

0

COVID PROVOCA ELEVAÇÃO DE NÍVEL DE SEGURANÇA EM TERMINAL DE PASSAGEIROS NO PORTO DE SANTOS

 

A Anvisa recomendou a suspensão definitiva da temporada

A Comissão Estadual de Segurança Pública nos Portos, Terminais e Vias Navegáveis (Cesportos) elevou, no dia 2 de dezembro, para II o Nível de Segurança do Terminal de Passageiros Giusfredo Santini, administrado pela empresa Concais S.A., no Porto de Santos, litoral de São Paulo.

A elevação ocorreu a partir de 17h, uma hora antes do anúncio aos passageiros que iriam fazer o embarque no navio MSC Splendida, do cancelamento do cruzeiro causado pelo surto de covid-19 entre os tripulantes.

A determinação autorizou, inclusive, o ingresso da Polícia Militar (PM) em caso de distúrbio, invasão e grave perturbação da ordem na área portuária e interior de navios.

Revolta de passageiros

Com o comunicado do cancelamento e o início de um período de quarentena da embarcação, um princípio de tumulto se formou no Terminal, entre os 2.420 passageiros que aguardavam o embarque desde 11h30, quando o espaço foi aberto. Eles já haviam passado por testes de Covid-19 e despachado, inclusive, as bagagens para o navio.

    Com o comunicado do cancelamento ocorreu um princípio de tumulto  — Foto: Matheus Tagé/Jornal A Tribuna

Cancelamento pela Avisa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que a MSC já havia recebida a Notificação Nº. 004/2022, referente ao cancelamento do embarque no dia anterior (01).

MSC

Em nota, a MSC Cruzeiros contradisse a Anvisa, e afirmou que a companhia recebeu a informação das autoridades de que o MSC Splendida não foi autorizado a realizar o embarque dos hóspedes no fim da tarde do dia 2.

 Passageiros aguardaram durante todo o domingo para embarcar — Foto: Matheus Tagé/Jornal A Tribuna

Viagem Anterior

O MSC Splendida já havia tido sua operação interrompida no dia 30 de dezembro, com passageiros isolados em suas cabines.

A viagem de Réveillon, que começou em Santos em 26 de dezembro, foi interrompida depois que 52 tripulantes e 27 passageiros testaram positivo para Covid-19. Devido ao surto de contaminações, os passageiros não foram autorizados a desembarcar em Balneário Camboriú (SC). O navio retornou à Santos, onde todos os 132 passageiros desceram.

Segundo a Anvisa, as atividades das embarcações podem ser suspensas, por determinação da agência, em decorrência da identificação de riscos à saúde pública ou do descumprimento das normas sanitárias vigentes.

Ainda segundo a Anvisa, no domingo (02), o cenário epidemiológico foi alterado para nível 4, o que implicou na determinação de quarentena para a embarcação.

Suspensão provisória da temporada

Após os casos de covid-19 nos navios Costa Diadema e MSC Splendida, no dia 31 de dezembro a Anvisa  recomendou ao Ministério da Saúde a suspensão provisória da temporada de cruzeiro em caráter preventivo.

Segundo a Anvisa, a “recomendação segue o disposto na Lei 13.979/2020, que definiu que as medidas de restrição excepcional e temporária para entrada no país, por rodovias, portos ou aeroportos, e de locomoção interestadual são de competência conjunta dos Ministros de Estado da Saúde, da Justiça e Segurança Pública e da Infraestrutura e que a adoção da medida deve ser precedida de recomendação técnica e fundamentada da agência”.

Suspensão definitiva da temporada

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou ontem (12), na Nota Técnica Nº 3/2022/SEI/GGPAF/DIRE5/ANVISA, a suspensão definitiva da temporada de navios de cruzeiro no Brasil. A medida foi tomada após verificação do “aumento exponencial” de casos de covid-19 nessas embarcações, principalmente entre os tripulantes. A recomendação foi encaminhada ao Ministério da Saúde e à Casa Civil.

A agência vinha monitorando os casos de contaminação pela covid-19 nesse tipo de embarcação, graças a protocolos definidos por ela própria para operação dos navios no país. Segundo a Anvisa, esses protocolos foram fundamentais para a identificação de uma alteração no número de casos a bordo.

“Os protocolos definidos pela Anvisa para operação dos navios de cruzeiro no Brasil trouxeram dispositivos que permitiram acompanhar o cenário epidemiológico nas embarcações durante quase dois meses e foram fundamentais para se identificar rapidamente a alteração no número de casos a bordo na penúltima semana epidemiológica de 2021”, diz nota enviada pela agência reguladora.

Navios parados

Logo após o Réveillon, no dia 4 de janeiro, o Brasil tinha quatro navios parados em sua costa com casos de Covid-19 entre passageiros e tripulantes.

As embarcações MSC Splendida; MSC Preziosa; MSC Seaside; Costa Diadema e Costa Fascinosa, estavam sob supervisão sanitária da Anvisa.


A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.      

* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos. Caso não tenha conta no Google, entre como anônimo mas se identique no final do seu comentário.