Noticias e artigos em tudo que envolve a segurança nos portos do Brasil

Postagem em destaque

AUTORIDADE PORTUÁRIA DE SANTOS PUBLICA EDITAL DE CONCURSO PARA A GUARDA PORTUÁRIA

As inscrições serão aceitas durante os dias 1º de abril a 06 de maio. A data prevista para a prova é 23 de junho A Autoridade Portuária de...

LEGISLAÇÕES

sábado, 7 de outubro de 2023

0

PF DEFLAGRA OPERAÇÃO CONTRA O TRÁFICO INTERNACIONAL DE DROGAS EM CINCO ESTADOS BRASILEIROS

 

Durante as investigações foram apreendidas 6,673 toneladas de cocaína em embarcações. Um dos presos é um sérvio, considerado um dos líderes do esquema

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã da última quinta-feira, 05/10, a Operação Dontraz, com o objetivo de combater uma organização criminosa especializada no tráfico internacional de drogas.

Nesta operação, foram expedidos 17 mandados de prisão preventiva, 4 mandados de prisão temporária e 41 mandados de busca e apreensão em cinco Estados brasileiros (São Paulo, Ceará, Paraná, Rio Grande do Norte e Santa Catarina). A ação contou com o apoio da Marinha do Brasil (MB), da Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP) e da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará. Em Santa Catarina, foram dois mandados de busca em São Francisco do Sul e Itapoá, no Litoral Norte catarinense.

Além dos mandados, foram decretadas ordens judiciais de sequestro de bens, entre eles carros e moto aquática, adquiridos pelos investigados com as práticas criminosas e o bloqueio de contas bancárias.

Prisões

Ao todo, ao menos 16 mandados de prisão foram cumpridos na operação, dez delas foram na Baixada Santista, sendo oito em Guarujá e duas em Praia Grande.

"O pessoal que nós prendemos é o pessoal especializado na logística. São contratados para esse serviço", explicou o delegado Alexandre Custódio Neto.

Segundo ele, os "cabeças" da organização criminosa ficam nos estados de São Paulo, Paraná e Santa Catarina. Um deles é um sérvio, considerado um dos líderes do esquema, que foi preso em uma casa em Guarujá. Ainda de acordo com o delegado, o principal destino dos entorpecentes era a máfia sérvia.

Investigação

A investigação teve início em abril de 2022, quando um pesqueiro de bandeira brasileira foi interceptado na costa africana, carregado com 5.457 kg de cocaína. Na embarcação, havia sete tripulantes, cinco brasileiros e dois montenegrinos, que foram presos em flagrante.

Outro fato importante do trabalho investigativo foi a apreensão de 1.216 kg de cocaína em um pesqueiro abordado em alto-mar, após ter partido de Fortaleza/CE. Nele havia seis tripulantes, todos brasileiros, que foram presos em flagrante.

A operação contou com a cooperação de autoridades de Cabo Verde, Estados Unidos da América, Inglaterra e da Europol.

Estrutura Empresarial

De acordo com o delegado Alexandre Custódio Neto, a organização é especializada na logística marítima do tráfico de drogas. A atuação do grupo foi identificada primeiro em Santa Catarina, São Paulo e Ceará: “os principais traficantes do grupo atuam como intermediários exatamente nessa logística da droga que vem dos países produtores e depois vão para destinos finais, principalmente nos continentes africano e europeu.”

Uma das embarcações saiu de Santa Catarina e foi levada ao Ceará, onde foi carregada com a cocaína, que foi apreendida em Cabo Verde em abril de 2022. O barco foi carregado com a ajuda de uma lancha, que leva o produto até a embarcação para onde o material é içado. O outro pesqueiro também foi comprado em Santa Catarina e levado para o Ceará. 

“Os coordenadores da logística terceirizam a mão de obra operacional. Um dos nossos alvos foi um bairro do Guarujá denominado Santa Cruz dos Navegantes, conhecido como Pouca Farinha, onde encontramos essas equipes. Eles contrataram esse pessoal que é especializado nesses içamentos na área portuária de Santos para ir até o Ceará e fazer esse transbordo para o barco”, explicou. 

Segundo ele, também há equipes especializadas nesse serviço contratadas pelo grupo em outros estados, como no RN, por exemplo, o que demonstra o dinamismo do crime organizado.

“Eles realmente são uma estrutura empresarial. Hoje não enxergamos mais as organizações criminosas tradicionais de algum tempo atrás que eram sempre os mesmos indivíduos, trabalhando sempre em conjunto. Percebemos que são grupos criminosos que se unem para fazer determinados trabalhos. E as parcerias vão se modificando conforme os interesses econômicos, custo da logística e tudo mais”, analisou. 

FICCO

Essa é a primeira ação decorrente da criação da Força Integrada de Combate ao Crime Organizado – FICCO no estado de São Paulo, uma iniciativa que visa integrar as forças de segurança federais, estaduais e municipais no combate ao crime organizado.

Crimes

Os investigados responderão pelos crimes de tráfico transnacional de drogas, organização criminosa e lavagem de dinheiro, e, se condenados, as penas podem chegar a 40 anos de prisão.


A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.      

* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e adicionado o link do artigo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos. Caso não tenha conta no Google, entre como anônimo mas se identique no final do seu comentário e insira o seu e-mail.