Noticias e artigos em tudo que envolve a segurança nos portos do Brasil

Postagem em destaque

OPERAÇÃO CONJUNTA DA GUARDA PORTUÁRIA E POLÍCIA CIVIL PRENDE HOMEM APONTADO COMO INTEGRANTE DO COMANDO VERMELHO

  Ele tinha um mandado de prisão preventiva pelo crime de associação para o tráfico de drogas Na noite da sexta-feira (26/01), a Guarda Po...

LEGISLAÇÕES

sexta-feira, 1 de dezembro de 2023

0

PF DEFLAGROU NO RIO DE JANEIRO A 2ª FASE DA OPERAÇÃO TAMOIOS

 

A Justiça Federal determinou o bloqueio de contas bancárias e sequestro de bens no valor de até R$ 126 milhões

A Polícia Federal (PF) deflagrou, no dia 16 de novembro, a 2ª fase da Operação Tamoios visando desarticular esquema de lavagem de dinheiro oriundo do tráfico internacional de drogas.

A ação foi conduzida pela Delegacia de Repressão a Drogas (DRE). De acordo com as investigações, o grupo criminoso utilizava sofisticados meios para ocultar e dissimular a origem de bens adquiridos mediante recursos advindos de suas atividades criminosas, em especial o tráfico transnacional.

Esta operação é um desdobramento da “Operação Tamoios”, deflagrada em agosto de 2021, que investigou traficantes internacionais que transportavam cocaína, por rodovia, do Rio de Janeiro até Vitória/ES. Do estado capixaba, as drogas eram acopladas - através de pequenas embarcações pesqueiras e com apoio de mergulhadores profissionais - em cascos de navios com destino à Europa.

Cerca de 50 policiais federais cumpriram oito mandados de busca e apreensão e sete mandados com medidas cautelares diversas da prisão, expedidos pela 3ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, em endereços localizados na capital do estado e Nilópolis/RJ.

Os investigadores se valeram de quebra de sigilos bancários e fiscais que ajudaram a confirmar a aquisição de diversos bens em nome de terceiros, “com o fim de perpetuar a existência da organização criminosa por intermédio da ocultação e/ou dissimulação dos bens, já que os investigados não tinham capacidade financeira e documentação fiscal que esclareçam a origem dos valores empregados na compra dos bens”, explicaram.

A PF representou por medidas cautelares, principalmente, pelas quebras de sigilos bancários e fiscais, os quais confirmaram a aquisição de diversos bens em nome de terceiros, com o fim de perpetuar a existência da organização criminosa por intermédio da ocultação e/ou dissimulação dos bens, já que os investigados não tinham capacidade financeira e documentação fiscal que esclareçam a origem dos valores empregados na compra dos bens.

Dessa forma, além dos mandados de busca e apreensão, a justiça federal determinou o bloqueio de contas bancárias e sequestro de bens móveis e imóveis no valor de até R$ 126 milhões.

Entre os bens sequestrados figuram dois apartamentos de luxo, que ficam de frente para a praia, na Barra da Tijuca, uma das áreas mais nobres do Rio. Um deles pertence a um homem apontado como líder da quadrilha. Na garagem do imóvel, foi apreendido um carro de luxo blindado. 

Uma casa em Angra dos Reis, área turística na Costa Verde no estado do Rio, carros de luxo e motos aquáticas também fazem parte da lista de bens sequestrados pela operação.

Os bens apreendidos e demais documentos de interesse da investigação foram encaminhados à Superintendência Regional da PF no Rio de Janeiro para formalidades e procedimentos de praxe.

SAIBA MAIS: PF PRENDE NIGERIANO ACUSADO DE TRÁFICO INTERNACIONAL DE DROGAS

LEIA TAMBÉM: PF DESARTICULA GRUPOS QUE LAVAVAM DINHEIRO DO TRÁFICO INTERNACIONAL DE DROGAS


A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.      

* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e adicionado o link do artigo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos. Caso não tenha conta no Google, entre como anônimo mas se identique no final do seu comentário e insira o seu e-mail.